gosto disto | contamimando

Há tanto tempo que vos queria contar sobre este projecto de uma das pessoas mais queridas que conheço, a Inês. Que, sem saber como, já preencheu tanto da minha vida e que conseguiu num longo dia de Hospital Santa Maria, em que o silêncio do final de dia se fazia ouvir mais um bebé doente a fazer 1 ano sem conseguir dormir e uma mãe tão exausta, fazer-nos sorrir, bater palmas e relaxar como já há nove dias não fazíamos. A Inês, não só criou o Contamimando de que vos vou falar, mas conta histórias de embalar ás crianças internadas no HSM… e naquele dia, calhou-nos a nós e foi tão bom ter uma tia para nos adormecer… aos dois.

Conheço a Inês há uns anos através do A que a conheceu na Oficina Colectiva onde a Inês faz “horas do conto” a quem quiser ouvir, os manos crescidos já não vão tantas vezes mas o babyv não tarda começa a ir e ouvir quem uma vez o embalou. 

A Contamimando é o projecto de uma arquitecta de profissão e contadora de histórias por paixão!

Com a maternidade nasceu a vontade de contar ainda mais histórias e nós agradecemos. Tem por base  duas vertentes: a mediação do livro, através de tapetes narrativos (concebidos e costurados pela própria Inês) e outros recursos, e a educação pela arte, através de visitas dinamizadas em núcleo expositivo.

Contamimando | facebook

É maravilho ver os pequenos mundos que a Inês constrói, ou costura, num tapete narrativo e a delícia das crianças ao ver a história tornar-se quase real ali à frente delas. Uma sensação de vida e energia única.

A Contamimando tem parcerias com imensas editoras e livrarias que cedem os seus espaços para a receber. Também tem parcerias com escolas para que todos a fiquem a conhecer, visitem a sua página no facebook para não perderem pitada e nenhuma história!!

oficina colectiva | rua poço dos negros 58 | facebook 

 

só porque amo este chão
Continue Reading

it was my birthday | 36

oficina colectiva | site | facebook
quem me conhece sabe que eu nunca deixaria passar este dia sem o fazer notar. sou daquelas que andaria na rua com um balão gigante com a idade que faço sem problema nenhum… andaria? não, ANDO! andei! porque fazer anos, é mesmo apenas um dia por ano e esse dia, normalmente é só nosso! eu gosto muito de o dizer ao mundo! 
este ano fiz exactamente isso, andei de balões na rua, gigantes e literalmente com a idade que tenho… amei! porque não vale a pena esconder nada, não sei se mostro a idade mas pouco ou nada me altera o sistema nervoso… adoro fazer anos independentemente de ter estes ou outros balões na mão. a minha avó… adorou fazer anos até aos noventa e quatro e eu serei igual. por isso já sabem… a partir de outubro lá estarei no vosso caminho para vos lembrar que dia 13 de Dezembro está quase a chegar!
a Oficina Colectiva mais uma vez deixou-me invadir o estaminé para compôr um brunch para amigos, família e quem quisesse entrar! não sou de grandes festas, não sou de grandes eventos, gosto disto de momentos de porta aberta em que quem quiser pode vir e estar um pouco à conversa. o ano passado correu lindamente e este ano não ficou atrás, mesmo com os miúdos doentes, consegui viver o momento sem pressas e com chuva como requer a tradição. só no hemisfério sul é que não tive chuva nos meus anos… mas no norte, faz parte! 

gosto sempre de decorar um pouco o espaço embora seja já tão especial, vintage e tão acolhedor, mas eu preciso de dar-lhe mais um toque, deixando sempre tudo para que eles tenham decoração para o natal que começa só no dia a seguir ao meu! juntei pequenas coisas que adoro, as tasselgarland da pieceofpaper, as bases de bolo da almagémea, os balões da pakaparty, o bolo de bolacha homenageando a minha querida avó da padariaportuguesa, os macarons fenomenais mais o bolo mini lindo da cakecakecake. os pormenores são mesmo isso, apontamentos de coisas que me fazem sorrir e suspirar de tão queridos. não é preciso mais… só os amigos.  

piece of paper | facebook

cake cake cake | facebook

nem todos os anos correm bem todo o ano, por vezes acabam pior do que começaram, mais tristes ou mais stressantes, desde que tenho uma loja esta altura leva-me à loucura e não pela positiva… outras vezes há tanta coisa boa a acontecer que nem damos pelo tempo passar… mas no dia treze eu paro sempre! seja durante a semana ou ao domingo, o que eu quero é falar de mim! claro que penso no ano que passou, no que vai começar, no que sinto, no que quero, no que fiz e vou fazer, mas no meu dia no fundo eu só quero que seja um dia MEU. sou das que responde a TODAS as mensagens, seja por sms, watsapp, facebook, o que for… se me dedicaram três segundo, eu dedico cinco e adoro! dizem que vivo para isto… têm razão, talvez até demais, mas eu preciso e gosto tanto! 
será do dia, será do signo, será de mim… o que for, faz-me bem. e agora siga que faltam mais 365 dias para fazer 37! eu depois aviso com a devida antecedência… em outubro!

Continue Reading

what i saw | namban

nunca descubro nada por acaso, as coisas é certo vêm ter comigo, mas vêm através de alguém que me conhece, alguém que sabe o que procuro ou porque o meu olho só pára no que realmente me diz qualquer coisa. e se for do mundo dos artigos de papelaria ainda melhor. sou apaixonada por cadernos, nunca são demais mesmo ficando em branco, o que é raro por aqui, é quase como ter livros novos de escola que têm um cheiro característico, para mim, cadernos em branco têm muito mais. têm tudo, não tendo absolutamente nada, sei que irão guardar milhares de coisas minhas. mas eu não escolho cadernos quaisquer, têm que ser únicos, já tive muitos simples, mas de alguma forma únicos. estes não são excepção… estes são únicos, no seu design, propósito e produção, com origens japonesas, são 100% portugueses. se bem que o nome, NAMBAN possa vir de algo mais rústico, bárbaro e um pouco depreciativo, eles são sem sombra dúvida do mais delicado que possa haver, feito com delicadeza e simplicidade, com tanto de precisão e utilidade, juntam num mesmo simples caderno toda uma arte impossível de não reparar.
conheço a Ana e o Filipe há pouco menos de dois anos, uns queridos, jovens e apaixonados pelo que fazem, conheci-os através do italiano cá de casa que um dia, arrumou o escritório caseiro e mudou-se para um criativo mundo novo, no fundo da rua. é numa oficina que tudo acontece, onde várias cabeças de mundos diferentes se juntam e… criam. a NAMBAN nasceu ali mesmo, no meio de tanta criatividade (começo com os cadernos mas com calma vou dar-vos a conhecer todos os produtos dali nascido, valem mesmo a pena) e tem sido um sucesso, já tenho vários entre presentes, mimos e vontades, ando aqui com uma colecção bem gira e tão diferente.
aconselho a todos a passarem na Oficina Criativa e espreitar, entrar, conversar, contratar e comprar o que de bom se faz por ali. há de tudo um pouco e eu embora suspeita, sou fã acima de tudo. já prometi tiramisus por ali algumas vezes, porque merecem!

Continue Reading

advent | idea 15

a ideia de hoje é simples e ainda vão a tempo… a HORA DO CONTO na Oficina Colectiva em s.catarina. a hora do conto é para crianças mas ao mesmo tempo podem ver a exposição TOMA, EMBRULHA que está a decorrer no mesmo espaço de design português. no natal é tão bom ouvir histórias…

today’s idea is simples and hasn’t started yet… the HORA DO CONTO (story hour) at the Oficina Colectiva in the s.catarina neighborhood. it’s for children but parents can enjoy the portuguese design exhibition TOMA, EMBRULHA while they listen to the story. xmas is such a wonderful time for new stories…

Continue Reading
Close Menu
×
×

Cart