…quase a chegar

se eu pudesse parava o tempo…
parava o tempo para vos agarrar…
quero que sintam que eu estou aqui sempre. preciso que saibam que nada do que está para acontecer tirará nem apagará o amor, o espaço e a importância que vocês os dois têm para mim… foram os primeiros, o primeiro e o segundo, mas acima de tudo os primeiros. fomos unidos desde aquele primeiro teste até ao dia que vos tive nos braços cheia de medo, apavorada, tão cansada, mas feliz. 
está para chegar um mano, o vosso primeiro mano que não seja o vosso gémeo… sempre quis isto, sempre vos quis dar um mano, um mano mais novo, um bebé, e esse bebé está quase a chegar. 
se eu sei como fazer isto de chegar a casa um dia e haver mais um… não, não sei. 
quero que seja perfeito, sem grandes alterações à vossa vida, mas não sei se o que pensei programar, o que pensei organizar é o ideal… vocês surpreendem-me todos os dias, muito pela positiva e algumas vezes fico surpresa de não estar a contar com algumas atitudes ou reacções. não quero que sofram com nenhuma decisão que eu tenha tomado em vosso nome, no entanto sei que ter mais filhos fazia parte dos meus planos, nossos, do pai e mãe, para a nossa família, esperando que ao chegar seja aceite, amado e muito querido por vós. 
a diferença de idades, se bem que ao princípio me tenha assustado, percebo hoje que faz o seu sentido… talvez seja essa diferença que me vai ajudar a nunca vos atropelar de mimos, que nunca me vai fazer colocar um em frente do outro, como sempre fizemos até aqui, não fosse eu extremamente preocupada com esse lado da vida de gémeos. cada um com o seu espaço, cada um com o seu tempo. quero acreditar que estão para chegar dias bons, muitos bons, para nós os cinco e para esta nova vida. que o coração cresça e que saiba acolher todos vocês à vossa maneira e à minha. sou feliz convosco e quero muito que este novo bebé faça parte de vocês desde o primeiro momento. não sei se será fácil, aliás sem prever o futuro, sei que nem sempre o será, mas obriguem-me a ser sempre melhor, chamem-me, agarrem-me, mimem-me, peçam-me tempo, mimos, beijos, abraços como têm feito até aqui, eu serei sempre vossa… mãe. 
meus queridos filhos crescidos… antes de qualquer outro filho, foram vocês que me fizeram quem sou, foram durante tanto tempo o melhor de mim… acreditem que serei sempre vossa amiga e mãe. adoro-vos como nunca pensei adorar ninguém, quero-vos como nunca quis nada na vida e espero que tudo o que vier, seja vivido intensamente por todos, em família. a nossa… que está prestes a crescer. 
Continue Reading …quase a chegar

it’s my birthday | 37

mini sessão . seis anos e vinte e oito semanas | mariana megre fotografia 

que seja o único ano em que partilho o meu dia de anos com outras pessoas… e que se o deva fazer que seja só e apenas convosco, os meus três pequenos homens. há quanto tempo andávamos à espera que eu estivesse bem disposta para passarmos uma manhã com a mariana, a fazer a nossa sessão anual dos manos… este ano em maio foi quase impossível, tentámos mas os meus enjoos e aquele tempo sinistro entre chuva, vento e nuvens cinzentas fizeram com que a vontade faltasse e o entusiasmo fugisse do nosso controlo… lá nos rendemos e esperámos que o verão passasse para descobrir que afinal o que nós queríamos era uma barrigudinha já notável, dois manos já a saber ler e um dia de outono que mais parecia pleno verão. e que bom que soube sair de casa pela fresquinha, ir ao maat sem filas, antes da cidade acordar e ver o rio, assim como se ainda ninguém o tivesse descoberto nem que soubesse que havia parte da cidade tão espectacular como esta.

calor, arquitectura, lisboa, rio tejo, manos, barriga e uma mãe bem disposta!

e hoje faço anos.

o que eu adoro fazer anos. de há uns anos para cá que neste dia preciso ser mimada preciso de me ver como os outros me veêm e quem melhor do que usa máquinas fotográficas e faz parar o tempo durante uns momentos. que magnífico presente receber logo de manhã estas imagens, ver-nos juntos, saber que vem aí mais um e que eu nunca estive tão bem acompanhada. as cores, os sorrisos, o tom, o calor, já não estamos bronzeados mas o branco faz-nos bem, que morenos que eles são, que crescidos, que miúdos queridos de sua mãe… e que vontade de vos ver com o mano nos braços, ao colo e a chamar por vocês.

e eu hoje faço anos…

grávida como há seis anos, mais cansada, mais needy de mimos sejam eles de chocolate ou de mozzarella ou de colo, mas pronta para o próximo ano. vai ser um ano diferente, mas eu continuo igual… nos meus anos acho sempre que estou bem, olho para o que se passou e apesar de tudo, tenha sido triste, estranho, difícil, gratificante, feliz ou alegre ,precisa de análise e chegar a este dia com um sorriso na cara e dizer, valeu a pena.

o balanço entre ser andrea, mulher, mãe, profissional, empreendedora é dos mais difíceis que já vivi, e no entanto já não sei o que é ser apenas uma destas coisas, tudo faz sentido assim, talvez seja demais, talvez pudesse ser menos mas não o saberia ser nem o quereria ser. não sou eu se não for assim. tenho desejos para mim mesma todos os anos, o balanço é feito agora, é perceber que apesar dos medos, ansiedades e reticências tudo o que faço o faço em pleno, a cem por cento e confiante que disso tirarei o que me levará em frente. não gosto de me martirizar, escolhi esta profissão, escolhi este trabalho, escolhi estes filhos, esta casa, este bairro, este país, este percurso e é aqui que eu quero estar e é aqui que eu serei em pleno, eu. a minha vida já deu voltas, daquelas de que nos viram do avesso e que boas voltas essas foram. tudo o que sou, fui eu que o escolhi para mim… mesmo que algumas voltas tenham vindo por surpresa, vieram porque eu assim permiti.

que eu saiba sempre manter o equilíbrio, que eu saiba sempre parar e respirar fundo, que eu saiba sempre ver o que tenho de bom acima do que tenho de menos bom… que eu nunca esqueça o que aqui me trouxe e o que daqui levo.

eu hoje faço anos e estou bem.

Continue Reading it’s my birthday | 37

twinsfifthbirthday | the yearly letter

todos insistem que passa rápido, rápido demais… a expressão “time flies when you’re having fun” poderia aplicar-se de facto à maternidade, e aos meus filhos, mas eu não acho que o tempo voe. acho mesmo que me lembro de cada segundo, minuto, dia, semana, mês, ano como se fosse tão intenso que foi saboreado ao milímetro. não sinto que me fogem pelos dedos, que não vivo isto de ser mãe ao máximo… tenho a certeza que o faço tão intensamente como viver. aproveito qualquer momento com os meus filhos, e gozo de uma felicidade imensa. sinto que já não me lembro de como era a vida sem eles, mas gosto de lhes contar como era, sinto que preencho bem os nossos silêncios como também as nossas brincadeiras e gargalhadas. para mim, não passa rápido demais, passa e passa intensamente. o que não é a vida se não aproveitar tudo… e guardar tudo na memória e nunca esquecer o que passou, o que somos e o que queremos…

os meus filhos fizeram 5 anos e eu como mãe também. que bom que é acompanhar estes pequenos seres humanos, nas suas conquistas, fases, (tramadas algumas…), questões, dúvidas, curiosidades, discursos (politicamente nada correctos…), medos, soluções, conversas, mimos e tão diferentes. são gémeos, mas acima de tudo, são pessoas, duas pessoas independentes, amigos, manos, conversadores, tímidos, comilões, altos, rapazes, brutos e meigos como só os meninos de sua mãe sabem ser. conversam pelos cotovelos, atrapalham-se no contar das suas aventuras, fogem a setes pés de cães, mergulham como peixes, saltam como loucos, lutam como super-heróis, acham-se verdadeiros “vingadores”, comem como o pai, e conversam como a mãe… os meus pequenos bebés já são meninos.

conheço-os como ninguém, distingo-os no som ao longe, nas reacções, sei prever melhor que ninguém o que vai acontecer nos próximos três minutos, como também me surpreendo mais que todos pelas coisas novas que aprendem e mostrar saber fazer. pedem e chamam por mim, como eu preciso deles e quero acreditar que tudo isto, por mais voltas que a vida dê, nos mantenha juntos, unidos e amigos para sempre. quero que saibam o quanto eu os adoro, e o quanto me fazem falta… quero acreditar que este amor e lugar especial que têm na minha vida existirá para sempre… e que se consiga ver à distância, por estranhos e amigos, e que seja sentido por nós nos momentos bons e maus.

parabéns meus queridos… uma mão cheia de coisas boas.
obrigada Mariana Megre, por conseguires meter numa imagem, tudo aquilo que eu lhes quero dizer. 
Continue Reading twinsfifthbirthday | the yearly letter