centro de mesa | decor de Natal

Para centro de mesa este ano, decidi manter as mesma folhagens que as coroas, mas dar-lhe um tom mais escuro, usando as tão tradicionais tangerinas dos nossos natais italianos. A minha sogra há quinze anos ensinou-me a secar casca de tangerina na lareira, devagarinho deixando no ar um cheiro que há 15 eu não identificava con Natal, apenas com inverno mas que se tornou o cheiro do nosso Natal. Usamos a tangerina em três versões: casca seca, fatias secas e tangerinas com cravinho. 

Este ano não sequei casca de tangerina, pura e simplesmente porque não tenho a mega lareira da minha sogra, onde cabe lá dentro quatro pessoas a tomar chá, e preferi apenas secar fatias de tangerina no forno, um processo lnto, mas não de todo impossível. Tenho visto mil e uma decorações usando fatias secas, mas não tenham medo é bastante fácil! 

Os verdes e as tangerinas têm um tom lindo para a nossa casa, combinam lindamente com as cores dos nossos livros na estante de parede interia que temos ao lado e com os pretos e cinzas de alguns apontamentos. No centro de mesa troquei apenas o pinheirinho mais maleável por um mais grosso, mais carnudo para que dura mais tempo… era bom que durasse até ao final do ano como nos meus sogros, em que se vai comendo as tangerinas durante estes oito dias como celebração das festas, e para cortar os sabores da quantidade louca de comida que se comsome. Sabiam que é um excelente truque para conseguir comer só mais uma sobremesa? E nós como comemos bacalhau, peru e borrego,  ligeira acidez da laranja corta tudo, e estamso prontos para outra. 
Lá somos 19 à mesa, aqui menos, mas no dia 1 já não há tangerina para ninguém!

O arranjo na jarra foi feito com o que sobrou de folhagens e um ramo teimosos de baga amarela. Não faz parte da mesa, ficou noutro móvel para que a decoração invadisse toda a casa. 

Quanto às tangerinas com cravinho, conheciam esta maneira de as decorar? Não só ficam lindas de morrer com os cravinhos espetados, podendo fazer qualquer desenho, como o cheirinho que emanem é indiscritível, um mito entre citrino e especiarias. Nós que somos descendentes de mouros, este é um mix perfeito entre as duas culturas, a portuguesa e a árabe. Eu adoro, tão Natal, tão inverno, tão nossa. 

Continue Reading

diy|fvm . cake topper

Parece que foi um sucesso este bolo, não só na receita, mas como ficou, eu estou super orgulhosa e pelas mensagens que tenho recebido não fui a única a gostar. Mas e o cake topper, como fez? Perguntam, eu respondo!

Material:
. rodelas de maneirinha | at.home hobby
. carimbos | flying tiger
. pistola de cola quente | flying tiger
. raminhos | florista ou jardim perto de casa
. corda | at.home hobby

Como fazer:
. carimbar as rodelinhas de madeira
. colar as rodelinhas na corda com cola quente
. agarrar a corda em cada lado a um raminho
em cada raminho forrar as pontas que vai espetar no bolo com papel alumínio para que o ramo não fiquei em contacto directo com o bolo… a mim faz-me confusão…
Notas:
tive que colocar um raminho extra no meio do topper pelo peso das rodelinhas que na letra S começou a rodar do peso, mas isto só se nota depois quando já estiver no bolo, por isso quando forem apanhar ramos no jardim, não tragam só dois, tragam mais e logo veem como funciona melhor. 

Continue Reading

diy|fvm . calendário de advento

Demorou mas foi! Estive tanto tempo sem saber como refazer o nosso calendário de advento deste ano, o dos últimos dois anos não funcionava como eu queria, não criava um elemento significativo na nossa sala, e eu queria algo maior, mais querido e mais meu. Este junta tudo isso.
Este ano fizemos claramente alterações aos nomes que lá estão, há novos que vieram para nos preencher ainda mais e fazer com que agora sim tenhamos um calendário perfeito!

Todos os anos fazemos um calendário com nomes de pessoas que nos completam, que adoramos, que queremos por perto e que nos fazem, nada mais nada menos, bem! Que nos fazem sorrir e saber que estarão sempre lá para o que der e vier. São aqueles por quem daríamos tudo e fazemos questão de, apesar de ao longo do ano nunca nos esquecermos, uma vez por ano, parar e dizer “gosto muito de ti”.

É maravilhoso ouvir a reacção de quem nos atende o telefone, apesar que já se ter tornado um hábito nosso, todos ficam deliciados ao ouvir os miúdos aos gritos e agora com mais um choro/guincho/gargalhada por trás!!! Como mãe, como educadora de três mini pessoas, não podia ficar mais orgulhosa de os ver a quererem o calendário logo em março e a saberem de cor qual deles é que vira o papel para saber a quem ligamos, apesar da vergonha do momento, sabem que fazem sorrir alguém muito especial! Quando calha alguém da casa é vê-los aproveitar o momento para saltar, abraçar, fazer cócegas ao mano, pai, mãe e este ano vamos ver como se portam quando chegar o dia do mini V.

Tenho tanto orgulho deste nosso momento, como tenho de os ter educado a respeitar quem nos circunda e saber parar e dizer o quanto são importantes. I did something right…

Agora ao tal diy|fvm do calendário de advento. A ideia partiu de casinhas, ou seja, termos as casas onde as “nossas pessoas” vivem. As chaminés significam apenas a comunicação, antes comunicava-se sinais de fumo, nós usamos o telefone!! Usar tricotin, ou rolinhos de lã, tornamos tudo mais fofo, mais acolhedor como o inverno exige. O resto é só porque sim, os corações em determinados dias, apesar de ninguém sem ser eu, saber onde calham as pessoas cá de casa, eu sei e bem onde os coloco,  há uma dia sempre meu, o 13 claro, e eles divido-os pelo calendário de maneira a dar tempo para cada esperar pelo outro. O mini v este ano tem casinha própria e o 18 é o número dele, como faz onze meses meti-o aí, há outra pessoa que tem dia especial porque faz anos nesse dia e fica sempre nesse dia, o resto é tirado de um saquinho ao calhas pelos miúdos e eu faço o calendário com base nisso fazendo as alterações que tiver que fazer… 
Materiais: máquina tricotin . washi tape . lã . papel dourado . caneta preta de acetato . tesoura . alicate . molde em cartolina das casinhas . arame
Perguntem que indico onde arranjar tudo!
Tricotin: lã em rolinho que é automaticamente feito pela máquina, têm apenas que coser (eu não sei se o que fiz foi coser ou aldrabar) o final e o início depois de “enfiar” o arame para poderem moldar o rolinho na forma que quiserem. Usem moldes para ser mais simples, ou “go with the flow” e dá para fazer tudo. Quem sabe um dia faço um vídeo… na net há mas quase todos em francês! O alicate serve para rematar o arame, eu usei um grosso, para ficarem penduradas na parede não quero que se deformem ao longo do mês. Cartolina para as chaminés que são fechadas com washi tape de maneira a puderem virar para dentro para ficarem com o nome de quem é o dia para cima. 
Colocar as casinhas em formato árvore, façam um plano primeiro para saberem onde calha cada número de modo a puderem distribuir bem a copa da árvore. Os corações em papel dourado são apenas para indicar quem tem um lugar ainda mais querido no nosso coração, incluindo os nomes no dia 24 que, e um dia os miúdos vão reparar melhor nestes pormenores, tem e terá sempre o nome do Menino Jesus e de quem já partiu e não queremos esquecer… em símbolo de estarem todos juntos.
Nada é por acaso aqui…
Que tal, gostam? Se precisarem de ajuda ainda vão a tempo, ou fica aqui a ideia para o ano que vem! 
Seguem imagens do resultado final! Super orgulhosa!! Vale tudo a pena!

Continue Reading

gosto disto | projecto alfacinha

Tenho a sorte de ao longo da vida ter conhecido pessoas interessantes, divertidas e que me tenham passado imensa informação nova. Tenho a capacidade de me deixar absorver pelas paixões dos outros e de querer muito aprender com quem conheço, de há muito e desde ontem. Não suporto a ideia de ter o que tenho como fechado, como se não houvesse mais nada no mundo quando esse mesmo mundo muda constantemente. Não perco oportunidades e sem dúvida não me fecho no meu mundinho. Eu só tenho a ganhar com isso!

A Mariana é um desses casos, temos uma diferença de idades já considerável, eu claramente a idosa desta relação, mas sigo-a no instagram e no blog há imenso tempo, já não sei bem como lá fui parar, talvez o nome, projectoalfacinha, que para quem adora lisboa pode ser só por si um motivo para ir ver o que por lá se passa e embora não seja um guia turístico da nossa cidade, nem um projecto que a irá mudar completamente, é um projecto sim, mas de vida, de vida de uma mini família de lisboa. E só por isso vale a pena. Mas claro que há muito mais di que isso, há todo um instagram apetecível, giro, bem composto, imagens garridas, um bebé que embora já ande fica um amor de fofo e uma paixão, a costura. No meio de tanta trapalhice e reguilice do pequeno Manel, existe uma paixão louca da Mariana pela costura! E eu que pesco zero do assunto, que mal consigo enfiar uma linha numa agulha, fiquei pasma a olhar, agora sigo-a como uma verdadeira stalker, não fosse eu também adorar a ideia de poder vestir o meu pequeno Vasco (e quem sabe os meus crescidos M e F) com peças feitas à mão.
Ali na minha #MINILOJA andamos em pleno boom de workshops de costura, tanto para iniciados, como intermédio como apenas para um determinado de produto que possa numa só aula dar a conhecer técnicas e truques especiais para dar azo à imaginação. Foi preciso procurar mais formadoras e eu não hesitei, lembrei-me dos flat-lay da Mariana, que por cada peça que cria, publica uma imagem giríssima como que um sneak peek, antes que o Manel vista a peça, aos seus seguidores para que vejam o antes e depois das suas criações. Mandei mensagem, recebi quase instantaneamente uma resposta mais que positiva! Que bom que é ver pessoas tão entusiasmadas com o que fazem e com o que querem ainda fazer! E a #MINILOJA só tem a ganhar com isso!! O feedback tem sido óptimo e os planos para aulas, temas e surpresas têm sido mais que muitos!! Ansiosas por setembro para recomeçar em grande o novo ano lectivo!
Deixo um cheirinho das peças que tenho pedido à Mariana para fazer cá para casa, desde os fofos para o Vasco, como a almofada para a cadeira da pápa, como também roupas lindas para a minha sobrinha, que sendo a única miúda entre seis netos, precisa de muitos mimos cor-de-rosa. Para cada peça há um primor, detalhe e dedicação indiscritível e tem sido um mundo de novos conceitos para mim. A costura de facto é um mundo e mesmo eu não estar a fazer planos para o fazer diariamente, adorava poder não ter medo para criar qualquer coisa, ajudar lá na #lojamaisqueridadobairro e quem sabe levar o “backoffice” da costura a outros níveis… que o que eu gosto é mesmo de estar na parte do fazer acontecer.  
projecto alfacinha | blog . facebook . instagram . pinterest
#MINILOJA . informações sobre workshops | facebook . mail: miniloja.atelierdatufi@gmail.com
Continue Reading

diy|fvm . forrar livros

Já andava há uns tempos para mostrar este meu pequeno DIY, mas o tempo passa e eu sempre a meter outras coisas à frente… não sei se ainda há alguém ás voltas com o forrar dos livros de escola, mas aqui neste post não mostro só como forrar livros, mas como forrar de maneira a não colar nada no próprio livro!
Os livros do Primeiro Ano, este ano, foram oferecidos pelo Ministério da Educação (pelo estado se quiserem) e eu aplaudo esta oferta. Tudo bem, há coisas que terão que ser resolvidas nos próximos anos, caso isto se torne hábito e esperemos que sim, como por exemplo fazer os manuais de escola apenas manuais, ou seja, só teóricos e não terem exercícios, porque até agora todos os manuais tinham e este ano também têm, claramente exercícios para fazer no próprio livro, mas se os temos que devolver impecáveis no final do ano, então presumo que terão isso em conta no futuro. Até lá, resta-nos tratar os livros o melhor possível e assim sendo começamos pela capa. 
Se usarmos papel autocolante, ao contrário do que algumas mães na escola dos meus filhos disseram, não será fácil tirar e no final do ano a escola não poderá aceitar o mesmo… mesmo que seja transparente, o livro tem que voltar como se fosse novo. 
Esta técnica, super simples na verdade, aprendi quando fui viver para os Estados Unidos, tinha eu 9 anos e já na altura nenhum livro de escola, manual ou prático, era nosso, eram todos da escola e no final do ano ninguém ficava com nenhum, a menos que fosse já a última edição do mesmo. Para verem, o livro que eu consegui trazer, o único, esteve na minha escola mais de 5 anos, o que por si só é magnífico, sem necessidade de andarmos a reproduzir livros com exactamente a mesma matéria… apenas para dar dinheiro ás editoras e basicamente gastar papel.
Na altura, usávamos o papel kraft mais grosso, o dos sacos das compras dos supermercados americanos, TÍPICO, tinham a medida e a resistência perfeita. Eu usei papel kraft na mesma, mas este é de embrulho. A vantagem é que caso se rasgue, duvido, mas caso aconteça volta-se a forrar sem que aconteça nada ao livro em si. A medida para cada forra é basicamente a medida de dois livros em pé mais 10cm de cada lado e em altura, a altura de um livro mais 10cm em cima e em baixo, isto para permitir que tenham margem de trabalho. Podem fazer “bainhas” mais pequenas, mas ajuda a forrar e na resistência se for maior.  
O mesmo processo que fariam para forrar um livro com autocolante, fazem-no aqui, apenas difere o modo como acabam os cantos, e neste caso basta que não se cortem e se dobrem sobre si mesmos, para que, ao aplicar fita-cola, suficiente para este tipo de forra sem ser preciso colas xpto, a mesma se sobreponha ao papel já dobrado. Super simples. Assim, de hoje para amanhã, basta rasgar e voilá o livro nem se percebe que foi forrado. 
Para os meus filhos, como têm apenas três livros, em três cores diferentes e ainda não sabem ler tudo, em vez de escrever na capa que livro é, fiz-lhes ver que os livros tinham cores e que cada cor corresponde a uma displicina com exercícios diferentes, etc. Para os identificar, perguntei como queriam fazer e como lá por casa damos muita importância ás iniciais disseram logo que queriam as letras nos livros. Assim, bastou comprar cartolinas das cores dos livros e a mãe desenhou as letras, eles cortaram e colaram. Primeiro estranharam porque achavam que eu ia forrar com papeis com bonecos e super-heróis, mas eu expliquei que o melhor era serem diferentes dos dos outros meninos para ser fácil perceberem quais o deles, claro, agora acham giríssimo e perguntam se não podem forrar o caderno preto, mas esse tem mesmo que ficar preto para todos. Acho óptimo, porque percebo que eles gostem, mas odeio cadernos todos cheios de desenhos. 
O que é certo é que os livros continuam impecáveis depois de 3 semanas de escola, e já tive pedidos para forrar mais, mal sabia eu que o que se aprende aos 9 pode ser útil aos 36!! 

Continue Reading

diy|fvm . cactus pin cushion

quem me dera ter tempo, mais tempo, para tantos projectos que me parecem tão giro, interessantes e até fáceis, não fosse eu um zero à esquerda na costura! mas deve haver por aí n pessoas que adoram costura e talvez até juntar o feltro à costura desta maneira. eu ando permanentemente ás voltas com os alfinetes quando estou na loja a tratar de produção industrial e reposição de stock dos nossos produtos, prepara-los para a fase seguinte de costura requer ter duas caixas de alfinetes sempre por perto e sempre abertas para que possa ir colocando os mesmos em velocidade turbo nos babetes, porta-documentos, aventais de amamentação, bolsas e bolinhas, cestos e cestinhos… e quando me cai tudo ao chão e apetece-me mais do que apanhar tudo para poupar atirar tudo com a vassoura para o lixo? ai que nervos… para a quantidade de alfinetes que uso teria que fazer este dia replicado em vinte e ter uma autêntica estufa na minha mesa!!! 
acho este dia simplesmente amoroso e tão útil e ainda por cima tão na moda, os cactus vieram para ficar e hoje é ver um mundo de coisas com este tema, quem não gosta? já aqui neste post me tinha apaixonado por tanta coisa com este tema, mas deve haver por aí milhares de modos de o usar… quem sabe nao faço outro post com mais situações com o desenho do ano, os cactus. 
cliquem no post original, estas manas têm sempre ideias tão giras!!! mesmo não usando como almofadinha de alfinetes, ficariam um máximo numa festa de anos, uma oferta para as educadoras e professoras, um presente para uma amiga ou até como oferta para um bebé recém-nascido e um quarto bem pensado… fica a dica! 

Continue Reading

diy|fvm . molduras em papel

molduras em papel | photo paper frames
este fim-de-semana fez-se luz e apercebi-me que já vamos no terceiro período do ano lectivo. os meus é certo que ainda não têm um ano lectivo de escola normal, ainda andam na infantil, mas de repente lembrei-me que este ano são finalistas da escola onde andam… para além da ternura e saudade que se depositou em mim, também entrei um pouco em pânico… este ano quero dar prendas com algum toque pessoal, algo que mesmo que não dure para sempre, possa levar uma lágrima ao canto do olho da escola inteira, sim, não faço por menos… lol 
também me lembrei que antes disso tudo acontecer, há um dia da mãe para preparar, mas eu disso já me livrei, os meus dão-me o que fazem na escola e à minha mãe já lá vão os tempos de diys!! acredito que seria um dia muito giro para meter os miúdos a fazer este dia com o pai! se derem a ideia depois finjam que não sabem de nada claro.
continuo com a intenção de fazer disto o meu presente para as educadora, e mesmo que faltem 3 meses ou mais, não tarda faltam 3 dias ou menos! 
se clicarem no link vão directas ao post original onde podem fazer o download do molde com as medidas certas para a moldura, onde cabem fotografias, ou frases como no exemplo, de 7,2cm x 9,7cm. como têm alguma espessura podem perfeitamente ficarem numa secretária ou numa prateleira e escolham a fotografia dos vossos filhos que mais represente o ano que passou e toda a vivência que lhe foi transmitida na escola onde andam e de onde terão saudades mil. ai nem quero pensar…

Continue Reading

diy|fvm . origami lamps

 nellianna | etsy
Desde miúda que gosto de origami, tornar um pedaço de papel num objecto em 3d simplesmente dobrando o papel em mil modos diferentes é quase terapêutico e há coisas giríssimas que se podem fazer… desde mini borboletas e barquinhos a… candeeiros! Claro que, para candeeiros não é um pedacinho de origami, mas a base é essa e com tempo e mais utensílios podem-se fazer maravilhas com origami em diferentes escalas. 
Deixo-vos alguns exemplos e os links próprios para chegarem ao artigo original, alguns com dicas passo a passo, outros apenas como inspiração. Já se começam a ver muitos candeeiros destes em lojas mais cool e com algum gosto por design mais minimalista, mas para quem quer tentar fazer algo do género mais caseiro, há mil e um estilos para copiar. Adorava ir a um workshop para aperfeiçoar esta técnica que para além de candeeiros funcionaria perfeitamente para decorações de festas, em grinaldas, luzes para os jardins e terraços, centros de mesa, etc… pode ficar a ideia para outros post! 
pinguim de l’espace | website

designandpaper | website

brit and co | website
drama queen at work | blog

dekotopia | blog

trendsparnana | blog

Continue Reading

diy|fvm . brass garland

brass garland | lovely indeed
ultimamente tenho experimentado mais diys com palhinhas que outra coisa, no Halloween tentei um centro de mesa, ligeiramente falhado porque o tempo foi o mínimo possível entre o mercadito e os miúdos voltarem da apanha da azeitona na quinta. no Natal adorava fazer mais e até sugeri ali no eu,mãe, onde de vez em quando deixo algumas dicas giras, como as palhinhas podem ser uma maneira de fazer decorações temporárias! e sim, qualquer palhinha dá! o diy de hoje só é diferente porque é mais chique! ahahhah a grande diferença é que aqui não são palhinhas, mas sim tubos de cobre…….. e perguntam vocês, cobre? tubos? mas porquê? …porquê, não sei, mas sei que se fingirem que são palhinhas, o efeito é quase o mesmo! tenho a certeza que conseguem encontrar palhinhas douradas por exemplo na Docinho de Açúcar e conseguem assim criar o mesmo efeito. podem clicar no link e serão levados aos passos a ter, mas aviso já que de todos os diys que aqui já partilhei, poderão estar a olhar para o mais simples de todos! tanto pode servir para decorar as janelas, a porta ou até a própria árvore de Natal, claro isto se forem como eu que gosta de todos os anos mudar algumas coisas, as tradições também são feitas disto… que não sejam tudo sempre igual e envolver tudo e todos na preparação de algo tão especial! boas decorações!!!

Continue Reading

diy|fvm . abóboras com confettis

se para os miúdos é giro brincar ao halloween com pormenores mais assustadores, para mim basta pegar nos pormenores da época e dar-lhes um look diferente. este ano quero fazer um centro de mesa diferente usando abóboras e em pesquisa pelos meus sites preferidos, a studio diy é sem dúvida das melhores bases para ideias giras1 esta é qualquer coisa! adoro! quero ver se uso esta como inspiração… já tenho as abóboras… falta-me agora tudo o resto! talez não as pinte mas os confettis poderão ser a solução, uma espécie de halloween meets christmas!  

i like to do things on halloween, we can’t follow the exact traditions i once did while i lived in california, but we can do so much more, such as little decorations that make the difference. these confetti dipped pumpkins are just adorable and i’d love to this with the ones i have at home, though the scale is a bit different. i love the whole halloween meets christmas feel to it!  
.
il halloween non é per niente una festa europea, ma si come ho vissuto nel stati uniti sono tornata con voglia di riccordare questo giorno faccendo cose in casa che fanno capire che c’e. questo piccolo diy é proprio quello che avevo in mente con le zucche che ho portato dall fruttivendolo, non sono proprio cosi piccole, ma forse l’idea di dipingerle e usare i confetti forse non é proprio male! vediamo!

Continue Reading
Close Menu
×
×

Cart