this is who i am

não sei bem como escrever este post sem correr riscos de parecer convencida, ou simplesmente parva, mas acabei de fazer anos, e sinto-me melhor do que nunca. sim, cansada, exausta fisicamente, com a cabeça cheia de tudo e mais alguma coisa, mas bem. gosto de quem sou! e quantas pessoas o dizem? acredito que muitas o sintam, dizer parece mal mas eu acabei de fazer anos e acho que o posso dizer…

eu todos os anos, desde há muitos anos, precisamente desde que passei a festejar o meu querido dia 13 sozinha e em pontos diferentes do mundo, foram 9 ao todo mais os últimos 3 que aqui já passei, que me prometi que eu mesma sei o que gosto e o que quero e preciso. adoro prendas, mas tenho um carinho especial por algo que eu escolho para mim, já foram peças de roupa que vi em outubro e esperei dois meses para as comprar, livros que comprei mas só no meu dia pude abrir e começar a ler, viagens compradas e ansiosamente esperadas a partir do dia 13, já foi um respirar de alívio pelas 12 semanas de gravidez, um corte de cabelo já muito preciso, e já foi o silêncio de acordar no meio do mato numa ilha deserta… enfim, tantos aniversários tão diferentes e tão meus. e este ano, não foi excepção… escolhi algo que nunca tinha feito, pelo menos não apenas para mim. escolhi ver-me!

a mariana megre percebeu-me logo quando lhe liguei e disse “quero fotos da andrea! não da mãe, não da arquitecta, não da outra tufi, não da esposa ou filha, quero apenas da andrea!”
esta sou eu, a que gosta de saias curtas, de tocar o cabelo, da letra A, de café. que gosta de rir, sorrir e ficar quieta. que é envergonhada, fala muito e que quer ouvir tudo.
esta sou eu. com trinta e quatro anos, eu gosto de mim.

  

i’m not really sure how i should write this post without sounding full of myself or just ridiculous, but i just had my birthday and i feel better than ever. sure, tired, exhausted, my head feels like it will explode, but i feel wonderful. i like who i am! and not many people say it out loud, but i think having just blown a few more candles on a birthday cake allows you to say whatever you feel like…

every year i give myself a present, it’s tradition since that first year i lived away from home, nine in total and three already back here, it’s somthing i promised myself a while ago that i know what i like, need and want. i love presents don’t get me wrong, but i save that special thing every year for me to give myself. from clothes i saw in october but waited until december to buy it, books i’ve bought before the day and kept it wrapped until then, plane tickes waiting for me to board away, twelve weeks of a special pregnancy, a haircut much needed and a wonderful gift of silence waking up in a deserted island… so many and so different, but so mine. this year was no exception… i picked something i had never done before, or shall i say never done for myself. i chose to see myself!

mariana megre understood me completely when i told her “i want photos of me, of andrea! not the mother, not the architect, not the other tufi, not the wife or daughter or sister, i want to just see andrea!” 
this is me, the girl who likes short skirts, to touch her hair, the letter A, coffee. who likes to laugh, smile and stay put. who is shy, who talks a lot and loves to listen to everything. 
this is me. i’m thirty four. i like me.