places to go | loriga


Dos lugares mais bonitos que já visitei. Tira-nos o fôlego, faz-nos sentir pequeninos e tão sortudos por sabermos que estes lugares existem e aqui tão perto... e mesmo tão perto. O nosso cantinho na Serra da Estrela fica a apenas 30minutos, não sei dizer em kms pois em estrada de montanha com curvas e contra-curvas pareciam algumas centenas, mas não querendo exagerar demorámos pouco mais de meia-hora e de repente é isto. Sempre a subir, mas sempre com belíssimas paisagens como já nos habituou a nossa serra. 



Cheia de turistas é certo, não menos apetecível nem menos espectacular. O melhor é ir cedo, com tempo, com lanche e muita água fresca. Não há pressa de voltar, a casa é mesmo ali ao pé e não há relógios. Este é mesmo o meu lema quando estou em família, principalmente com os miúdos, se não gozarmos bem o tempo, ninguém relaxa e tudo parece mais dramático do que é... 




Há um bar com café minimamente bom, há comida mas nem lhe tocámos, nas há estacionamento e encontrar um lugar para meter a toalha é por si só uma aventura, há espaço, mas tanto pode ser em cima de uma rocha, como em chão duro de terra. O melhor é ir e depois logo se vê. Que Loriga vale a pena, vale. Que a nossa serra é maravilhosa é... disso ninguém tem dúvidas. 


momentos . domenica mattina


livro "storia di chi fugge e di chi resta . elena ferrante | fio . el otro tigre | prato . barru potery

Ando há um ano a ler esta colecção, quatro para ser precisa, em italiano para sentir o original. Adorei os quatro livros, confesso que o primeiro demorou a entrar, uma quantidade louca de informação sobre tantas personagens e as suas famílias que lembrou-me o "cem anos de solidão" que em tempos idos li e deixei a meio... coisa rara na minha vida, mas aconteceu. Desta vez aguentei, demorei mais tempo do que normalmente demoro, mas preferi assim, informação com calma e mais interiorizada. 
Este verão acabei tudo... e mesmo a tempo! 

Já estão a acabar a série tv em Itália e eu aguardo impaciente saber mais e saber quem são os actores e quando é que consigo ver... claro, cá não chega tão cedo, mas pode ser que calhe eu conseguir ver na nossa próxima ida a Milão. 

Bons livros acompanhados de um bom café, logo pela manhã e com planos para o final do dia será dos melhores modos de acordar a um domingo sem filhos. Claro está... com tempo, até confesso, depois de tomar o café e ler um bocado apetece voltar a dormir com ele debaixo daquele edredon fofo e branco.

my shop | baby cards


Desde que os meus primeiros filhos nasceram que procurei maneiras de registo que pudessem ir acompanhando alguns momentos importantes, assim como tiramos todos os meses fotografias durante a gravidez, era importante registar os grandes pequenos passos que um bebé faz ao longo daqueles primeiros momentos de vida, aquele ano em que parece que acontece tudo, em que a cada dia crescem e mudam e deixam-nos tão babadas... aquele ano em que nós, mães, nos habituamos a coisas tão diferentes do ano anterior. Acredito nisto quando temos o primeiro, o segundo, o terceiro and so on... e quando temos gémeos também. Leva-nos a um ponto de intensidade tal, mas com imenso amor, com muito orgulho e imensa esperança de ver ainda mais.  


Na altura, fiz esse registo de outra forma, estava longe e os mails eram a minha maneira de mostrar como cresciam, foi mais importante mostrar que estávamos bem e felizes rodeados de pouco mas cheios de cor, amizades e tanto sol. Já do mini V decidi por outro registo, as fotos com as letras em texto e reduzido aos meses apenas, mas decidi andar para a frente com o plano que tenho há anos, que imaginei ao detalhe antes de o começar a realizar. Do texto ao modo como se pode fotografar, da textura do papel ao modo como as pessoas o podem receber em casa... E estou muito feliz com o resultado. Já anda por aí a fazer mães e fotografias felizes. Já há muita encomenda para embrulhar e de repente sei que valeu a pena guardar para agora. 



São 32 cartões que acompanham a vida deles, e das mães, durante o primeiro ano e vá, mais alguns meses, ou não fossem alguns mais propício a começar a andar depois dos 12 meses, ou terem dentes já com 18, ou dormirem fora de casa, a muito custo, lá para os 2 anos... não sabemos como vai ser, mas cá estamos para registar tudo. O importante é não esquecer! 

férias | verão dois mil e dezoito | part one


o nosso verão começa logo a seguir aos anos dos manos crescidos e normalmente, apesar deste ano ter chegado mais tarde, começamos logo a meter os pés na água e na areia, nem sempre é fácil porque eu também não entro em água gélida logo logo, mas se eles entram e aguentam quem somos nós para contrariar. aqui somos felizes, já dizia alguém e nós somos mesmo. temos um horário de praia completamente diferente do resto do mundo e gostamos de não ir nem a correr nem sair de fugida. dia de praia a valer é acordar com calma, levar o mínimo possível, sair quando nos apetecer. só se leva o pouco essencial, que voltou a querer dizer com brinquedos... o lanche passa a ser um refeição com peso depois de um almoço super leve em casa e um jantar já pré-feito no dia anterior, normalmente saladas frias no terraço. não há horas nem telejornal que nos impeça de relaxar por completo. o baby V já se adaptou, os manos sabem-no de cor. o pai tem companhia para os longos passeios, a mãe lê enquanto o mini dorme a tal sesta de 2 a 3 horas. quem me dera... mas há muito livro comprado na livraria à espera que eu os leia e crie mais espaço. 



baby v . fato de banho da tictacbabies



manos F e M . fatos de banho da zippy

a nossa praia fica do outro lado da ponte, não vamos para a linha, não gosto muito da linha, do trânsito nem do modo como os carros são abandonados como querem e bem lhes apetece. não gosto particularmente da areia e a água, não digo que toda, nunca me parece completamente limpa. a linha tem a vantagem de ter mais serviços talvez e menos a preço de ouro, mas raramente gasto dinheiro na praia e levo o que precisamos para ir petiscando. gosto deste espaço vazio, do horizonte largo e de não ter ninguém num raio de 20m... a água é maravilhosa, limpa, transparente, com maré baixa quase o dia todo permitindo que podemos estar todos na água ao mesmo tempo sem medos. eles brincam, ele corre, escavam, criam piscinas e é tudo tão tranquilo... é como se eu recuperasse tempo. 

e o melhor... caiem eles e nós de rastos na cama, sonos bons.