where to eat | bettina&nicoló corallo


Já alguma vez cá entraram? Ou se não entraram, já passaram por aqui, por esta exacta porta? Deviam se não. Antes de chegar já se sente... ou melhor já se cheira, e cheira tão bem. Eu sou fanática por café, não recuso nem um, bebo vários ao longo do dia, independente de quando tomei o anterior ou de que horas são, se houver momento, eu bebo café. 

No Bettina & Nicolò, o cheiro é intenso, mágico, quente, intenso, acolhedor e como o café maravilhoso. Dos melhores da cidade sem os exageros dos novos locais que prezam a notoriedade, os turistas e a postura, aqui não há exageros, há café e chocolate. Dito assim pode parecer pouco, mas chega. Quando estou nesta zona da cidade o café tomo-o sempre aqui, já palmilhei também alguns quarteirões para cá chegar de propósito e qualquer subida de rua compensa a chegada aqui. 




O cacau e o café da Corallo é produzido em São Tomé e Príncipe e parece que se sente África em cada taça e em cada quadradinho de chocolate. Vale a pena o desvio que tiver que fazer, vale a pena beber de pé caso esteja cheio, só tem duas mesinhas e costumam estar cheias, vale a pena mesmo para quem não bebe café cá vir e ao fim de uma refeição experimentar um chocolate perfeito.


Bettine & Nicole Corallo . rua da escola politécnica 4 . lisboa | facebook



where to eat | talk.to.me

Por mais que se queira chegar a todos, nem sempre é possível, em Lisboa ultimamente têm aberto novos cafés, brunch houses, restaurantes, bares, padarias aos montes e umas atrás das outras, a lista aumenta e parece não abrandar, nem estabilizar, uns com temas, outros com loiça específica (agora já não se usam pratos, mas taças de cocos... eu sabia que devia ter trazido o coqueiro que tinha no jardim em Maputo, fazia um serviço completo), uns com ovos, outros sem café, uns com croissants, outros só panquecas, é tanta a informação que é preciso estudar primeiro a fome que têm antes de decidir onde vamos... pois bem, aqui não é preciso. 

O talktome.café tem uma ligação a uma sítio que adoro, o heim.café e só por isso tinha que lá ir, a seguir conta a localização que mesmo sendo num local super na moda agora, o príncipe real, está num cantinho do jardim e isso já está a anos luz de outros, pode passar despercebido mas isso também lhe dá um valor único, e depois o espaço. 
Eu sei, falo sempre do espaço, mas para além de também comer com os olhos, também como melhor se quiser viver num determinado espaço. Há poucas meses e dois balcões, quase como sugerir que falemos com a mesa do lado, somos poucos e podemos falar uns com os outros, o nome combina na perfeição! Mas também é muito bom ter estes espaços só para nós de vez em quando.




É tudo acolhedor, desde o espaço em si, não mínimo nem gigante, ao sorriso de quem nos atende, das caras que já nos reconhecem, da máquina do café, ao menu, à comida e ao tempo que por ali se passa.     Claro que nunca vou sozinha e a companhia faz muito do momento e ajuda, principalmente nos sítios que não gosto... sim, eu sei que falo bem de quase tudo, mas também os há... para outro post então. 


Comida saudável quanto baste, sem exageros mas carregada de sabor, a minha tosta de salmão era um verdadeiro festim dos deus de cor e sabor, incrível, super simples, coisas que eu adoro mas combinadas de modo a fazer-me querer mais três! 
Aprovado sem dúvida e onde vou voltar, há um menu de coisas para experimentar. 
Há pequenos-almoços, brunch, almoços leves e vinho... que mais precisam?



talk to me.café . praça do príncipe real 6C | facebook . instagram

where to shop | casa do pico

Raramente leio um livro duas vezes, raramente vejo um filme mais que três vezes (não consigo explicar as dezasete vezes que vi o "lendas de paixão"...), raramente volto a ver séries, só mesmo em modo full turbo e pego no primeiro episódio e chego ao fim em três dias, mas volto muitas vezes aos mesmos restaurantes, aos mesmos cafés e muitas vezes às mesmas lojas... não aquelas que existem iguais em cada esquina, mas a estas, lojas que nos deixam ficar sem pressas, onde acima de tudo se conversa, onde há apesar de um minimalista zen muito para descobrir. 


Desta vez trouxe os miúdos e apesar de estar permanentemente de olho neles, foi uma excelente manhã na Casa do Pico, entre primos e tios é sempre um momento perfeito estar ali. Gosto muito deste meu lado da família, já disse mil vezes, e este espaço é a cara deles. 




Está para chegar a terceira visita onde vou poder também experimentar os pequenos-almoços e as tostas que me têm feito babar. 





As novidades antes de irmos de férias eram algumas, mas adorei particularmente estas raquetes, de praia ou não, da Unna Wood, lindíssimas, muito bem feitas e super resistíveis e crianças, tirei eu a prova ali mesmo... Estou super curiosa de ver o que haverá de novo agora que voltarmos e recomeçarmos o ano, tenho a certeza que será sempre uma excelente surpresa, e um sítio de onde não vamos querer sair, nunca. 



Casa do Pico . praceia da sociedade velha . cascais | facebook . instagram