precious finds | little loom weaving

Numa troca gira de serviços chegou até mim este livro de Weaving, quem me conhece sabe o quanto eu adoro fazer tapeçaria em tear pequeno, mas que tenho sempre mil dúvidas e ando sempre a investigar como fazer outros pontos, sempre à procura de como inovar principalmente em peças mais pequenas. Tenho uma paixão por usar a lá, o fio e tantos matérias neste modo em que não há nada para coser nem costurar, há só enfiar, puxar, levar, mudar, tirar, movimentos que quase parecem uma dança mas que podem ser desmanchados, repensados à medida que o vamos fazendo.

Nunca fiz uma peça igual a outra, mesmo quando me pedem que querem igual a alguma que já fiz, seja porque não quero mesmo fazer igual, seja porque já não me lembro de tudo o que fiz, tento sempre que o tear "fale" comigo e me deixe levar. 



Little Loom Weaving | siteloja easy . pinterest . instagram

Este livro é uma excelente base para começar e não só, aprender a ter coragem para fazer peças diferentes, peças mais difíceis e aprender com tantas formas diferentes de usar os "pontos". Há uns anos publiquei sobre o tear redondo, aliás era quadrado, mas a peça ficaria redonda, o que eu sofri com aquilo, ainda hoje olho e vejo tantos pontos mal feitos, ainda sinto o stress que me provocou ao mexer naquele formato fora de formato... hoje em dia, adoro. De todos os que já fiz os meus redondos são os mais bonitos, mas já não uso o tear quadrado que talvez seja defeito profissional, usar círculos em quadrados sempre me deu a volta à vista... agora uso aros e divirto-me imenso. Têm saído peças giríssimas, e muitas delas já por aí andam a decorar quartos e casas.

Recomendo que falem com a Andreia Gomes e que a sigam pelo seu trabalho e que lhe encomendem o livro para também vocês descobrirem esta nova, de todo nova, terapia. Faz bem à alma. 

Os miúdos já fizeram as malas dos brinquedos, jogos de tabuleiro e vinte versões de cartas, o baby só leva bolas de futebol, o pai leva dez livros e eu levo o tear e um cesto de lãs... Fazer o que gostamos sempre!



where to eat | merceario bio food

Levei algum tempo a lá chegar, não foi agora, este post já devia ter saído a algum tempo, mas nem sempre consigo falar de tudo no tempo perfeito e às vezes preciso de mais tempo para pensar bem no que vou dizer... não foi o caso, a opinião ficou formada logo e muito positiva, mas não sei se foi do tempo ou da preguiça invernal, só agora consegui deixar aqui o post merecido.



 

Food Mercearia Bio . largo conde barão 15, lisboa | facebook . instagram 

Adoro conhecer sítios novos por me levarem lá, este espaço faz parte da série #surpresasboas ou até #reuniõesàmesa daqueles momentos em que para me convencerem a fazer um trabalho, me levam a comer que é pelo estômago que me agarram, não estão de todo errados, mas podíamos comer menos claro! Aqui não foi refeição, foi um café e uma fatia de bolo de cenoura que posso declarar ser dos melhores que já comi, sendo que normalmente como bolo de cenoura em casa e raramente o toco, pois é para as crianças... este foi só para mim. Muito bom. Incluindo o café que sem manis xpto saiu bem à primeira, soube divinalmente.

Nume zona que começa a ganhar uma vida nova, nem há dez anos eu raramente lá passaria quando vinha de férias pelo cheiro, frequência e sujo que por lá havia, agora há de tudo, está tudo com nova cara e a lisboeta agradece, mal por mal os turistas a isto obrigam e Lisboa merece que a visitem e que a arranjem... já tratar bem é outra coisa.




A Food Mercearia Biológica, tem no fundo um conceito muito acolhedor, comer algo caseiro num espaço quentinho e fazer umas compras de mercearia de coisas tão simples como de tanta coisa diferente e que apetece experimentar. Preciso de lá ir com olhos de ver, apesar de ser assumidamente não-verde também gosto de experimentar, de conhecer e acima de tudo provar.

Definitivamente onde voltar e provar mais coisas aconchegados, há lanches, pequeno almoço, almoços e bom café, para mim chega!

have a great week | 31.2018


working with | the love project

Ultimamente tenho passado muito tempo na florista! Ela já sabe o que eu quero assim que me vê, pergunta logo os tons que eu preciso e obviamente, mesmo eu estado no meio das flores, não sei os nomes de todas nem sei como se comportam todas o que faz com que passar pela florista às 7 da manhã seja um momento para aprender e absorver o máximo de informação. A primeira coisa a reter é que todas as flores se podem usar de uma maneira ou outra, juntas, separadas, em jarro, soltas, secas ou ainda por desabrochar. E por isso tem sido tão bom explorar este novo mundo.

Em maio, mês das flores por excelência, a Joana pediu-me para lhe montar o cenário das suas sessões do Dia da Mãe, podem ir lá ao cantinho dela espreitar, mas deixo-vos um cheirinho do que fiz visto pela lente da Joana! Espero que gostem. Ficou querido e deu para criar momentos especiais tenho a certeza.

   


   
 



Adoro estes convites para criar algo que mesmo que dure um dia vai encher as paredes de casas de muitas família, com fotos cheias de cor e imensa ternura. Também já tinha feito a sessão da Joana para o Natal, e também, sou suspeita claro, ficou um amor e em breve também mostro! 
Quando precisarem de uma decoração, evento ou momento especial com flores falem comigo!







Cenário | Andrea . facebook . instagram