where to eat | heim café

Foi o primeiro sítio em lisboa onde eu vi pela primeira vez as famosas, e tão boas e que me causavam imensas saudades, french toasts, cá traduzem para torradas francesas que de francesas têm muito pouco... mas posso ser eu que não sei... estranhamente, acho que não têm nada a ver, quando bem feitas com as nossas fatias douradas, mas eu de cozinhar sei pouco.


O heim foi onde eu passei masi tempo durante a licença de maternidade com o babyV, ele habituou-se ao cheirinho a pequeno almoço da mãe com as amigas, com as tias e estrangeiros. Também aqui chegam aos montes e é preciso acertar na hora, abre ás 9 e a essa hora já está cheio, comem e saiem para as suas longas caminhadas... enquanto nós chegamos mais tarde. já foi mais fácil arranjar mesa a qualquer hora e aí entra a minha ciumeira, adorava manter isto um segredo, mas é bom demais... e pelos visto não sou a única a achá-lo!



É tudo excelente eu que o diga que acho que já percorri meio menu, entre mim e as amigas já experimentámos de tudo. Acabando sempre num café excelente!

Numa rua tranquila, limpa e arranjada, onde outros cafés e restaurantes sobrevivem sem caos e quase em harmonia entre vizinhos, adoro esta zona e é perfeita para mim, depois de um grande banquete subir a rua das trinas é o melhor exercício possível!







 
heim café . rua de santos-o-velho 2 e 4. lisboa | facebook | instagram 

Não quero ser repetitiva e tenho alguma dificuldade em decidir-me sobre qual o "breakfast bar" melhor de Lisboa porque na verdade cada um tem uma coisa muito boa que me tira da cama, aqui não há uma, mas diria umas dez. Se não é o melhor é quase! Tudo aqui é bom, a comida, o serviço, a localização, as cores, o ambiente, a água com rodelas de limão, o café, as torradas, as sandes, as panquecas e as waffles, a fruta e o creme de café com suspiros... até o sotaque amoroso de quem nos atende é fenomenal, no fundo em vez de quererem ter só turistas, faz-nos sentir a nós fora cá dentro num tom muito mais simpático e muito menos agressivo do que o que se passa am Lisboa ultimamente. Fico curiosa de saber se noutros pontos do país isto também acontece...

Para quem me continua a sugerir bons sítios para pequenos-almoços, por favor continuem, mesmo que no Algarve ou em Aveiro, hei-de lá chegar!! Adorei!

on set | tic tac babies


Quem foi ao Mercadito da Carlota este sábado?

Há já alguns Mercados que faço isto, deixei de ir como marca, mas nunca lá deixei de participar. Há três sessões que tenho participado de outra forma, a minha querida amiga Teresa desafia-me para criar a sua banca! Com a marca TictacBabies, que já por si só pouco precisaria para ficar ainda mais querida, dá-me o mote do que quer, e eu lá vou com o caderno, lápis e bic e desenho o que ela me pede... e cada vez é mais exigente e cada vez é mais aliciante!



Tenho um orgulho imenso no que somos capazes de fazer e esta, foi do melhor! Foi preciso ir mais além e se o tema era praia, conchas e areia, então que fosse mesmo isso que nos faria pensar em algo maior, melhor e que combinasse na perfeição com a colecção de verão da TictacBabies!



 
  



A ideia? As barracas da praia! Acham que conseguimos?
Usámos uma estrutura que já existia, acrescentando à mesma, completando com peças originais e reais (já viram as bóias à Baywatch?), com os charriots que em mercados destes fazem sempre falta, as colecções ficam cada vez maiores e é preciso espaço para as ver, ao agarrar os charriots à estrutura de trás conseguiu-se abrir mais o espaço interior da banca, que tem as suas limitações físicas, e fazer com que quem vendesse não ficasse fechado, mas também quem compre não se sentisse longe de tudo. O importante é que as pessoas tenham acesso ao produto, mas desta maneira com a roupa colocada nos extremos da delimitação puderam ficar mais afastadas do balcão e por conseguinte mais à larga enquanto veêm o produto e dentro do balcão mais à larga enquanto vendem! São charriots reguláveis em comprimento e permite fazer coisas giríssimas para as peças penduradas.

A "barraca" foi criada com umas costas forrada em tecido ás riscas, e um mini toldo. O resto foi recriado usando o balcão forrado com o mesmo tecido fazendo com que tudo ficasse unido. As bandeiras foram a cereja no topo do bolo. Foi a última coisa a pensar e a ser executada, mas com um resultado perfeito! Montada e ao vivo ficou mil vezes melhor do que alguma vez imaginámos!!

Foi tão bom ver o resultado final e a reacção de quem passava! Combinou na perfeição com o tema do Mercadito da Carlota, que todos os anos nos faz repensar e subir a parada! Adorei o desafio e adorei a capacidade que temos de pensar e tornar realidade algo tão giro!


Está bandeira verde! Que chegue o verão!!!

have a great week | 13.2018


where to eat | amelia vs. nicolau

Ah a Amélia. Talvez por ser menina, talvez por ser maior, mais alegre, mais cor-de-rosa, isto sim é espaço para ir, estar e ficar! A milhas, não só em distância mesmo, do seu amado, este espaço não tem nada a ver com o Nicolau.
Que belíssima reunião tive de mulheres cheias de garra a quererem fazer o que gostam e colaborar umas com as outras com ideias geniais e vontade de passar o que melhor fazem a quem quiser! Projectos bons pelo futuro e que sítio bom onde começar algo novo e refrescante. 



Este A é qualquer coisa de magnífico... 




Espaço arejado, cheio de energia boa e luz magnífica, no verão será mega ficar aqui horas... claro que com o sucesso que irá ter não vamos conseguir mesa, mas já lá fui e a experiência não podia ter sido melhor! Super bem tratadas e servidas, não falhou em nada e os empregados, tanto elas como eles, sempre disponíveis, só faltava virem de três em três minutos encherem o copo de água. Amei! Até duvidei por momentos que o Nicolau e a Amelia se conhecessem!!! 
Não sei bem a história por detrás dos dois espaços mas se os donos forem os mesmos... ajudem o Nicolau!


Até a comida soube melhor, mais bonita, mais fresca e não só porque sim. Pode ser do entusiasmo inicial, mas pela afluência e tipo de pessoas, vi ali amigas minhas que são exigentes! Pelo ambiente, pela rotação de pessoas, não duvido que seja bom durante muito tempo. Bem gostava de voltar à baixa lisboeta mais vezes, mas começo a achar que não vale a pena... 
Aqui ao pé de casa há bons lugares para planear o futuro e comer o que há de melhor em Lisboa. 


amelia . rua ferreira borges 101 lisboa | facebook | instagram

Parabéns Amelia! Ainda bem que vieste e por favor fica! 
E se algum destes As desaparecer, eu assumo, fui eu!

where to eat | nicolau vs. amélia

Vamos por partes, agora vou falar do Nicolau, namorado da Amélia, parece...
Chegou primeiro, conquistou Lisboa mas esqueceu-se dos lisboetas, dá mais sorrisos a quem fala inglês de cabelo loiro e olhos azuis, das duas vezes que lá fui a apresentação do que nos trazem no prato vai perdendo qualidade. A receber-nos estão pessoas com vontade de treinar o inglês com aquelas frases com "like" no final como se isso fosse falar bem, trocando os verbos todos. Tornou-se hábito por esta cidade, esta necessidade de agradar turcos e troianos, mas não lisboetas.

O Nicolau percebeu que faltavam french toast nos menus portugueses, isso agradeço-lhe do fundo do coração ou do estômago porque há anos que queria voltar a comer umas boas "fatias douradas" à americana! Boa, obrigada!!

O resto não me convence, serviço despachado e espaço acanhado.. pena...








nicolau . rua s. nicolau 17 . lisboa | facebook | instagram

Chão lindo que amei, mais os azulejos verdes vidraças e o neon, são peças magníficas mas não chegam para me convencer a voltar.

Digam-me se sou só eu, mas com tanta escolha.......

dia do pai | o meu pai


Foi uma correria a minha semana, entre tratar de centenas de encomendas, dos pedidos especiais, envios para todo o país, e para as ilhas que adoro, não parei. Por vezes duvidei que fosse possível, mas se há coisa que sei e que confirmei de há uns meses para cá é que ninguém me pára quando faço o que adoro e faço-o sempre com dedicação. 
Estes prints do DIA DO PAI foram o meu pequeno mimo para aqueles que nos preenchem como família, que nos ajudam como mães, que nos apoiam, que nos dão tanto, por vezes até sem pedir nada em troca. Aqueles com quem decidimos ter filhos, constituir família e escolhidos a dedo para que os miúdos saíssem lindos de morrer. 


Adoramos saber que são heróis para os nossos filhos, tanto quanto os nossos pais foram para nós. 

Continuo a achar o meu pai o mais alto do mundo, que se me pegar ao colo eu vou ficar a nadar nos seus braços, o meu pai ainda é o tal "fazedor de tudo e mais alguma coisa" e talvez a ele devo esta capacidade de multi-tasking que tenho. O meu pai dá-nos mil coisas, materiais e tantas não. Ás vezes é preciso por-lhe um travão, mas ele sabe a que ritmo tem que ir e sabe sempre quando nos deixar passar na passadeira. O meu pai brinca connosco ainda hoje e vê nos seis netos os filhos que não chegou a ter. Preocupa-se connosco como se tivéssemos três anos e também nisso é preciso chamar-lhe à atenção, apesar de no fundo saber que parte de o deixar fazer isso é porque o quero orgulhoso de mim como pessoa, adulta e mulher. A ideia de depender do meu pai irrita-me, mas dependo muito, emocionalmente. É o único que me vê chorar, é o único a quem eu peço ajuda e digo honestamente "não consigo"... prova disso foi a tarefa grande que lhe coloquei nas mãos para me livrar de coisas tóxicas o ano passado... soube cuidar de mim como cuidou quando nasci e como naquele dia em que caí e me levou até ao hospital ao colo (entre Alcântara e o Restelo deve ter conduzido, mas mesmo com dezasseis anos eu só  me lembro da parte do colo) e ficou comigo horas enquanto eu choramingava... 


Tenho no meu pai um orgulho imenso, nem sempre agiu bem e por vezes apetecia-me alertá-lo e dizer-lhe que errou, mas quem sou eu perante este gigante, este homem que vê nas suas filhas apenas felicidade e ternura? Quem sou eu para lhe dizer que afinal tenho ainda medo e que quero colo mais vezes. Mas eu sei que ele sabe, se não não mo dava través dos meus filhos e dos meus sobrinhos. 

O meu pai é melhor que o vosso. 
O meu pai é mais alto que o teu (bem provável)
O meu pai é um herói.
O meu pai é contador de histórias sempre sobre o pinguim que vive na costa da caparica.
O meu pai pegou-me ao colo mesmo quando lhe diziam que ia partir as costas.
O meu pai adora-me.
O meu pai sofreu por mim.
O meu pai chorou à minha frente.
O meu pai ajudou-me ontem, hoje e só eu sei o que vai ajudar amanhã.
O meu pai é o melhor avô de sempre. 
O meu pai foi criado pelo meu avô Manuel, o segundo herói da minha história. 
O meu pai... é o meu pai.

have a great week | 12.2018


where to eat | dear breakfast


Com este nome, como não me conquistar? só no nome tem umas das minhas palavras e refeições preferidas! A Maria fazia anos, escolheu este sítio para celebrar connosco e eu quase que acho que o escolheu por mim!! 
Espaço zen ao máximo, branquinha, não muito grande, mas o suficiente para ter grupos sentados em três mesas, loiros e estrangeiros claro, só os italianos soavam a casa... e nós! duas morenas e uma loira à conversa sobre o dia da mulher, obras, festas, educação dos filhos e óbviamente sobre como estar bem e saudável!!! Isto enquanto comíamos umas excelentes panquecas... não no topo, mais pesadas e o bacon precisa parecer vidro a partir por mim, otherwise parece tudo muito cozido, mas alto! Muito boas!!! Quando precisarem da lista de pequenos-almoços já sabem!



O espaço é o que mais me conquistou! 
   


Sempre completo, o pequeno-almoço tem que durar horas, e sem hora para acabar... é deixar-se ir, saltar o almoço e tomar um chá ás 17h... depois de um momento destes com amigas ainda tenho mais energia para meter mãos à obra e ui, o que me rendeu a 6ª-feira!!!! 



O açúcar da foto não é meu, mas fica ali bem. O café, esse, é bom bom bom!


dear breakfast . rua das gaivotas 17 . lisboa | facebook | instagram 

have a great week | 11.2018


my shop | dia do pai

posso não celebrar todos os "dias de..." do ano, há uns que não reconheço sequer a existência, mas dia do pai? dia da mãe? ADORO!!! na minha casa sempre houve momentos de celebrar, ou com pequeno-almoço na casa, presentes, almoço fora, jantar num sítio especial, pai a ir buscar ao colégio mais cedo, mãe a levar ás compras, sim no dia dela chegou a ir comigo comprar roupa à zara para mim!


e agora que eu sou a mãe, e temos outro pai para celebrar, um italiano que nunca deu importância a isto e que jura que os pais dele também não dão... se vivessem perto de nós queria ver! também já começa a gostar de saber que andamos a planear há dias qualquer coisa só para ele... porque só o aniversário para lhe dizermos que o adoramos não chega!


e que tal dizermos OBRIGADO por tudo o que ele sabe fazer e o faz tão bem? este print é isso mesmo. o pai não é só o homem da casa é também aquele que faz mais brincadeiras com pulos, saltos e cambalhotas, é o que delira com as parvoíces deles, que os atira para a cama, o que rebola com eles no chão, ganha batalhas com bichos minúsculos, carrega um ou três com a mesma destreza e arranca sempre um sorriso aos miúdos! é o que desenha lindamente carros, dragões, todos os personagens Star Wars, sabe os nomes dos personagens todos dos desenhos animados preferido, o que ensina a trabalhar com o computador e que cá em casa vai meter três rapazes a cozinharem lindamente!

dito isto, no próximo dia 19 de março, dia do pai, vamos saltar-lhe em cima e enchê-lo de coisas boas! NÓS!!


loja andrea | dia do pai