at work with | bond girl

* onde vive? de onde é? como foi aí parar?
lisboeta, onde passei a minha infância. mudei-me para a margem sul ainda adolescente e por aqui fiquei na margem certa da vida :)gosto da margem sul, somos tipo uma família que quem mora aqui gosta de estar aqui. estou perto da praia, seja inverno ou verão passo lá muito tempo. e lisboa fica mesmo aqui ao lado. e gosto de pensar que cada vez que vou a lisboa vou conhecer algo novo, como se fosse turista na minha cidade. gosto de ser turista, seja cá ou lá fora 🙂

* onde fica o atelier?

a bondgirl tem sempre um pé em casa e outro em lisboa. mas a verdade é que a maior parte do tempo é em casa que trabalho. tenho dias sim que passo de chinelos, outros de fato de treino quando venho do ginásio. já cheguei a fazer reuniões via skype em que só me arranjei da cintura para cima e que estava de pijama ainda por baixo lol. mas também tenho dias em que trabalho em lisboa, na Unique Stays. já trabalho na US há alguns anos e tenho vindo a colaborar neste projecto. e aqui nesta casa, que também é minha, passo muito tempo. é sempre uma boa desculpa para sair de casa.

 * o que vê da janela?
da janela vejo o cristo-rei, mas de costas. vejo ainda o cimo da ponte lá longe. tenho um parque infantil mesmo por baixo da janela e chego a conhecer as crianças que por lá passam ás vezes. e o bom desta minha margem sul é que tenho verde, eucaliptos à janela. faz de conta que estou no campo mas com a idade já ali no horizonte.

* tem algum ritual antes de começar a trabalhar?
o ritual do pequeno-almoço! sim, porque é um ritual e não abdico dele 🙂 são os primeiros minutos do dia em que me sento à mesa com o ipad a ver as novidades e a fazer a minha lista de “to-dos” para o dia. gosto de fazer o meu café com leite e dou os bons dias no instagram. sim porque temos um pequeno núcleo de amigas e bloggers que gostamos de inventar coisas novas para o pequeno-almoço  de inventar coisas novas para o pequeno-almoço.. neste momento andamos a aprender afazer um bom latte com aqueles desenhos por cima. e este desafio vamos partilhando e aprendendo no instagram. tenho dias de torradas e tenho dias mais saudáveis em que o pequeno-almoço é iogurte., granola feita por mim e fruta.
antes de começar a trabalhar já venho de barriga cheia do pequeno-almoço 🙂 mas enquanto o computador se liga, vou lendo no meu caderno o que tenho para fazer. depois passo sempre pela minha página do facebook, pelo blog e pelos emails e mais emails. e respondo logo a emails rápidos. depois vou seguindo ponto a ponto o que tenho para fazer. um dos problemas de trabalhar em casa para mim é perder a noção das horas. dou por mim ás vezes a almoçar ás 2 da tarde ou ás 3!

* o que gosta mais do seu trabalho? o que a põe mais à prova?
o que gosto mais de fazer? acho que o facto de ajudar as pessoas é o que me deixa mais contente. sim, é design a ajudar pessoas. nos tempos que correm vemos cada vez mais as pessoas a seguir os seus sonhos e a arriscarem a fazer aquilo que querem e muitas vezes antes mesmo de começar a “fazer desenhos” existe muita troca de ideias. tenho vindo a conhecer muitos projectos giros, muitas pessoas que são super simpáticas que depositam em mim tanta confiança. e tenho tanto gosto em trabalhar assim. é um orgulho depois ver blogs e p+aginas do facebook a mostrarem a sua nova imagem cheia de orgulho 🙂 e fico tão contente por ter sido eu a fazer parte disso. e como complemento adoro dar formação. poder partilhar os meus conhecimentos a outros e fazer disso uma maneira de ajudá-los é óptimo. é claro que todos os designers têm o seu estilo, e ainda bem. claramente eu tenho um estilo próprio e ás vezes há certos tipos de trabalho que para mim são mais difíceis de fazer. e nestes casos vou sempre a procura de inspiração e a verdade é que em cada trabalho  que tenho feito tenho aprendido uma coisa nova. seja mais um truque no photoshop, mais uma ferramenta nova no illustrator, mas tem acontecido sempre. estou sempre a aprender coisas novas e isso é um óptimo teste para conseguir fazer todos os trabalhos que me pedem.

* como aprendeu a fazer o que faz?
eu nunca pensei em ser designer até chegar o dia em que tinha que me inscrever na faculdade. a verdade é que sempre pensei em ser arquitecta. 🙂 mas na altura alguém me falou no curso de design e achei o máximo. comecei logo a trabalhar no segundo ano da faculdade (na altura não havia estágios e achei melhor começar a trabalhar) numa gráfica onde aprendi tudo sobre impressão. sujei as mãos, lavei tela, imprimi t-shirts, canetas, papel, fiz cunhos em fresas gigantes e foi um dos melhores trabalhos que tive até hoje. e desde então não parei de trabalhar. quando terminei o curso já tinha um bom currículo e foi o que me ajudou. trabalhei desde a grande empresa de publicidade à mais pequena, fiz parte de vários projectos com outras pessoas. até que um dia pensei – e fazer um projecto que seja mesmo meu? meu, feito por mim, tal como eu quero.
e desde que fui mãe, e fiquei a trabalhar mais em casa habituei-me a esta ideia. de trabalhar para mim, de construir a minha marca. de ter os meus horários, gosto desta liberdade. confesso que gosto mesmo. adoro esta liberdade. e vou aprendendo todos os dias. e sobre tudo. porque se estou a trabalhar numa imagem nova para uma marca de bolos e doces aprendo um pouco mais sobre as receitas e confecção, se estou a trabalhar para uma marca de nutrição aprendo um pouco mais sobre alimentação saudável e por aí fora…

* o que é a BongGirl?
a bond girl é a minha liberdade. a minha liberdade de fazer o que gosto. que me permite conhecer pessoas e projectos. que me define acima de tudo. tenho o blog onde partilho o que gosto e que faço. não tenho nenhuma rotina específica nem escrevo todos os dias. mas finalmente tenho a minha marca, o meu projecto.  e que serve sempre de “desculpa” para conhecer outros trabalhos também. tenho sempre as malas prontas para ir a qualquer lado. aliás domingo, dia 2 de fevereiro, vou até à california fazer uma mini road-trip. e já tenho o meu plano feito para conhecer por lá designers e lojas que adoro. e quero mesmo conhece-los. adoro fazer isto.

Continue Reading

at work with | bond girl

* onde vive? de onde é? como foi aí parar?
lisboeta, onde passei a minha infância. mudei-me para a margem sul ainda adolescente e por aqui fiquei na margem certa da vida :)gosto da margem sul, somos tipo uma família que quem mora aqui gosta de estar aqui. estou perto da praia, seja inverno ou verão passo lá muito tempo. e lisboa fica mesmo aqui ao lado. e gosto de pensar que cada vez que vou a lisboa vou conhecer algo novo, como se fosse turista na minha cidade. gosto de ser turista, seja cá ou lá fora 🙂

* onde fica o atelier?

a bondgirl tem sempre um pé em casa e outro em lisboa. mas a verdade é que a maior parte do tempo é em casa que trabalho. tenho dias sim que passo de chinelos, outros de fato de treino quando venho do ginásio. já cheguei a fazer reuniões via skype em que só me arranjei da cintura para cima e que estava de pijama ainda por baixo lol. mas também tenho dias em que trabalho em lisboa, na Unique Stays. já trabalho na US há alguns anos e tenho vindo a colaborar neste projecto. e aqui nesta casa, que também é minha, passo muito tempo. é sempre uma boa desculpa para sair de casa.

 * o que vê da janela?
da janela vejo o cristo-rei, mas de costas. vejo ainda o cimo da ponte lá longe. tenho um parque infantil mesmo por baixo da janela e chego a conhecer as crianças que por lá passam ás vezes. e o bom desta minha margem sul é que tenho verde, eucaliptos à janela. faz de conta que estou no campo mas com a idade já ali no horizonte.

* tem algum ritual antes de começar a trabalhar?
o ritual do pequeno-almoço! sim, porque é um ritual e não abdico dele 🙂 são os primeiros minutos do dia em que me sento à mesa com o ipad a ver as novidades e a fazer a minha lista de “to-dos” para o dia. gosto de fazer o meu café com leite e dou os bons dias no instagram. sim porque temos um pequeno núcleo de amigas e bloggers que gostamos de inventar coisas novas para o pequeno-almoço  de inventar coisas novas para o pequeno-almoço.. neste momento andamos a aprender afazer um bom latte com aqueles desenhos por cima. e este desafio vamos partilhando e aprendendo no instagram. tenho dias de torradas e tenho dias mais saudáveis em que o pequeno-almoço é iogurte., granola feita por mim e fruta.
antes de começar a trabalhar já venho de barriga cheia do pequeno-almoço 🙂 mas enquanto o computador se liga, vou lendo no meu caderno o que tenho para fazer. depois passo sempre pela minha página do facebook, pelo blog e pelos emails e mais emails. e respondo logo a emails rápidos. depois vou seguindo ponto a ponto o que tenho para fazer. um dos problemas de trabalhar em casa para mim é perder a noção das horas. dou por mim ás vezes a almoçar ás 2 da tarde ou ás 3!

* o que gosta mais do seu trabalho? o que a põe mais à prova?
o que gosto mais de fazer? acho que o facto de ajudar as pessoas é o que me deixa mais contente. sim, é design a ajudar pessoas. nos tempos que correm vemos cada vez mais as pessoas a seguir os seus sonhos e a arriscarem a fazer aquilo que querem e muitas vezes antes mesmo de começar a “fazer desenhos” existe muita troca de ideias. tenho vindo a conhecer muitos projectos giros, muitas pessoas que são super simpáticas que depositam em mim tanta confiança. e tenho tanto gosto em trabalhar assim. é um orgulho depois ver blogs e p+aginas do facebook a mostrarem a sua nova imagem cheia de orgulho 🙂 e fico tão contente por ter sido eu a fazer parte disso. e como complemento adoro dar formação. poder partilhar os meus conhecimentos a outros e fazer disso uma maneira de ajudá-los é óptimo. é claro que todos os designers têm o seu estilo, e ainda bem. claramente eu tenho um estilo próprio e ás vezes há certos tipos de trabalho que para mim são mais difíceis de fazer. e nestes casos vou sempre a procura de inspiração e a verdade é que em cada trabalho  que tenho feito tenho aprendido uma coisa nova. seja mais um truque no photoshop, mais uma ferramenta nova no illustrator, mas tem acontecido sempre. estou sempre a aprender coisas novas e isso é um óptimo teste para conseguir fazer todos os trabalhos que me pedem.

* como aprendeu a fazer o que faz?
eu nunca pensei em ser designer até chegar o dia em que tinha que me inscrever na faculdade. a verdade é que sempre pensei em ser arquitecta. 🙂 mas na altura alguém me falou no curso de design e achei o máximo. comecei logo a trabalhar no segundo ano da faculdade (na altura não havia estágios e achei melhor começar a trabalhar) numa gráfica onde aprendi tudo sobre impressão. sujei as mãos, lavei tela, imprimi t-shirts, canetas, papel, fiz cunhos em fresas gigantes e foi um dos melhores trabalhos que tive até hoje. e desde então não parei de trabalhar. quando terminei o curso já tinha um bom currículo e foi o que me ajudou. trabalhei desde a grande empresa de publicidade à mais pequena, fiz parte de vários projectos com outras pessoas. até que um dia pensei – e fazer um projecto que seja mesmo meu? meu, feito por mim, tal como eu quero.
e desde que fui mãe, e fiquei a trabalhar mais em casa habituei-me a esta ideia. de trabalhar para mim, de construir a minha marca. de ter os meus horários, gosto desta liberdade. confesso que gosto mesmo. adoro esta liberdade. e vou aprendendo todos os dias. e sobre tudo. porque se estou a trabalhar numa imagem nova para uma marca de bolos e doces aprendo um pouco mais sobre as receitas e confecção, se estou a trabalhar para uma marca de nutrição aprendo um pouco mais sobre alimentação saudável e por aí fora…

* o que é a BongGirl?
a bond girl é a minha liberdade. a minha liberdade de fazer o que gosto. que me permite conhecer pessoas e projectos. que me define acima de tudo. tenho o blog onde partilho o que gosto e que faço. não tenho nenhuma rotina específica nem escrevo todos os dias. mas finalmente tenho a minha marca, o meu projecto.  e que serve sempre de “desculpa” para conhecer outros trabalhos também. tenho sempre as malas prontas para ir a qualquer lado. aliás domingo, dia 2 de fevereiro, vou até à california fazer uma mini road-trip. e já tenho o meu plano feito para conhecer por lá designers e lojas que adoro. e quero mesmo conhece-los. adoro fazer isto.

Continue Reading

cores | grapefruit tea

1|2|3|4|5|6|7|8|9|10

até ao dia de hoje, durante este inverno ainda não fiquei doente… nem eu, nem ele, nem os miúdos com um dia de febre ainda no outono, mas doentes, não. espero que continue assim. o meu lema é “se nós, adultos lá de casa, não adoecermos, os miúdos também não…” isto porque já não estão tão sensíveis ás doenças e se nos protegermos, até porque não podemos ficar em casa, eles também aprenderão a manterem-se saudáveis. isto sou eu a sonhar! bem sei que não é assim, mas enfim, há que manter as coisas chatas à distância. isto para dizer que, quando fico com gripe, constipada, com alergias e com febre (onde é que isso já vai… há um ano) uma das cosias que tomo sempre é chá preto com gotas de toranja! sim toranja!! adoroooooo… e faz tão bem! nem sonham talvez, mas é mesmo muito bom! já sabemos que a laranja é boa para estas coisas, mas toranja para mim é super eficaz! só não sou é fã da toranja sozinha estranhamente, mas quando a corto para espremer para um bule de chá, fico maravilhada com a cor que tem… é que também não é laranja, não é encarnado, nem é rosa… é um bocadinho dos três e tão bonita.

Continue Reading

cores | grapefruit tea

1|2|3|4|5|6|7|8|9|10

até ao dia de hoje, durante este inverno ainda não fiquei doente… nem eu, nem ele, nem os miúdos com um dia de febre ainda no outono, mas doentes, não. espero que continue assim. o meu lema é “se nós, adultos lá de casa, não adoecermos, os miúdos também não…” isto porque já não estão tão sensíveis ás doenças e se nos protegermos, até porque não podemos ficar em casa, eles também aprenderão a manterem-se saudáveis. isto sou eu a sonhar! bem sei que não é assim, mas enfim, há que manter as coisas chatas à distância. isto para dizer que, quando fico com gripe, constipada, com alergias e com febre (onde é que isso já vai… há um ano) uma das cosias que tomo sempre é chá preto com gotas de toranja! sim toranja!! adoroooooo… e faz tão bem! nem sonham talvez, mas é mesmo muito bom! já sabemos que a laranja é boa para estas coisas, mas toranja para mim é super eficaz! só não sou é fã da toranja sozinha estranhamente, mas quando a corto para espremer para um bule de chá, fico maravilhada com a cor que tem… é que também não é laranja, não é encarnado, nem é rosa… é um bocadinho dos três e tão bonita.

Continue Reading

twenty fourteen project | 04

maputo, esta imagem diz-me tantas coisas que nem sei bem sintetizar… ando com saudades ultimamente, e não é porque cá chove, é pela liberdade pelo tempo que lá tivémos, outros tempos, outras calmas, outros silêncios. esta imagem foi tirada num passeio que fizémos a percorrer a cidade a pé à procura de padrões únicos de gralhas, gradeamento e muros, para uma trabalho muito especial para o nosso atelier de design de produtos e móveis, KUVA. descobrimos coisas magníficas e únicas de facto. a prova disso é o resultado maravilhoso desta colecção linda de móveis. espero que gostem. 
maputo, this imagem means so many things to that i’m not really sure how to start… i miss it lately, not because of the weather, but for the freedom, and time it represents, other times, other calmness, other silences. this image was taken while taking a long walk through the city searching for patterns of grids, walls, and fences, for a work we were still developing at the time on furniture design for KUVA. we found amazing things and details so powerful it originated a wonderful and unique project… the result is gorgeous and it became one of the most beautiful pieces of furniture we’ve ever designed. i hope you like it. 

Continue Reading

twenty fourteen project | 04

maputo, esta imagem diz-me tantas coisas que nem sei bem sintetizar… ando com saudades ultimamente, e não é porque cá chove, é pela liberdade pelo tempo que lá tivémos, outros tempos, outras calmas, outros silêncios. esta imagem foi tirada num passeio que fizémos a percorrer a cidade a pé à procura de padrões únicos de gralhas, gradeamento e muros, para uma trabalho muito especial para o nosso atelier de design de produtos e móveis, KUVA. descobrimos coisas magníficas e únicas de facto. a prova disso é o resultado maravilhoso desta colecção linda de móveis. espero que gostem. 
maputo, this imagem means so many things to that i’m not really sure how to start… i miss it lately, not because of the weather, but for the freedom, and time it represents, other times, other calmness, other silences. this image was taken while taking a long walk through the city searching for patterns of grids, walls, and fences, for a work we were still developing at the time on furniture design for KUVA. we found amazing things and details so powerful it originated a wonderful and unique project… the result is gorgeous and it became one of the most beautiful pieces of furniture we’ve ever designed. i hope you like it. 

Continue Reading

instaweek 04|52

uma semana cheia de coisas mas nem todas boas, sim vimos o mini-m que já fala pelos cotovelos, gosta do colo da tia mesmo que o use pouco, adora os primos e eles vice-versa, há produtos lindos e novos na loja, há momentos hilariantes de estacionamento na nossa rua, mas também houve idas ao dentista… birras intermináveis que me fizeram tomar um pequeno-almoço fora de casa não fosse eu dar em louca! houve compras de pasta marca pingo doce o que o deixa bastante furioso, mas não havia marcas decentes, sabes como é temos que comer. mas ainda bem que houve também tempo para me concentrar em fazer uma das minhas sobremesas preferidas… pavlova. sexta-feira deixa aqui a receita.
a week full of things and not all good. we saw mini-m, growing up fast and beautiful, chatting away. loves his aunty arms but sees them little and his cousins adore him. there are adorable and new products in store these days, hilarious moments watching people park in our street, but there was also a dentist appointment… and neverendless tantrums which made me walk out for breakfast to clear my mind! white brand pasta that makes the house cook a bit nervous, but hey, there was nothing else and we gotta eat… and thankfully a few moments to concentrate in the kitchen baking one of my favorite deserts… pavlova. i’ll post the recipe on friday. 

Continue Reading

instaweek 04|52

uma semana cheia de coisas mas nem todas boas, sim vimos o mini-m que já fala pelos cotovelos, gosta do colo da tia mesmo que o use pouco, adora os primos e eles vice-versa, há produtos lindos e novos na loja, há momentos hilariantes de estacionamento na nossa rua, mas também houve idas ao dentista… birras intermináveis que me fizeram tomar um pequeno-almoço fora de casa não fosse eu dar em louca! houve compras de pasta marca pingo doce o que o deixa bastante furioso, mas não havia marcas decentes, sabes como é temos que comer. mas ainda bem que houve também tempo para me concentrar em fazer uma das minhas sobremesas preferidas… pavlova. sexta-feira deixa aqui a receita.
a week full of things and not all good. we saw mini-m, growing up fast and beautiful, chatting away. loves his aunty arms but sees them little and his cousins adore him. there are adorable and new products in store these days, hilarious moments watching people park in our street, but there was also a dentist appointment… and neverendless tantrums which made me walk out for breakfast to clear my mind! white brand pasta that makes the house cook a bit nervous, but hey, there was nothing else and we gotta eat… and thankfully a few moments to concentrate in the kitchen baking one of my favorite deserts… pavlova. i’ll post the recipe on friday. 

Continue Reading

pinboard | for boys

1|2|3|4|5|6

ando a pensar muito no que os meus miúdos vestem, não pelo consumismo mas porque começam a ser rapazes e não tão bebés. as golas e golinhas nunca foram o nosso forte, em moçambique o calor não permitia grandes aparatos e os bodies ou só fraldas davam imenso jeito. andavam mais tempo no sling que fora e quanto menos roupa melhor para todos. passámos directamente para jardineiras, tshirts e ténis pela praticabilidade da coisa, temos carneiras, calções de veludo cotlê, temos roupa tic tac, temos casaquinhos lindos para ocasiões especiais, mas temos muita roupa práctica pois a escola não perdoa e aquele pavimento do recreio dá cabo de tudo. compro quase tudo na zara, primark e gap, mas ultimamente apetece-me dar-lhe um “look”, não quero maltrapilhas, não quero betinhos nem daqueles miúdos que tão pequeninos já têm camisolas cheias de caveiras, marcas e frases que não lembram ao diabo, ou logos de bandas sinistras… se bem que já as tiveram e aos 9 meses ficavam-lhes tão bem. agora ando perdida por looks mais crescidos, camisas, cardigans, calças afuniladas e dobradas para se verem aquelas pernas lindas de miúdo pequeno, gosto de cachecóis mais leves e coloridos, ando ansiosa por lhes tirar os casações, gorros e cachecóis de lã… andam tão mais bem-dispostos quanto mais leve for a roupa, como a mãe… quero vê-los de tshirt, de calças frescas e keds sem meias, quero vê-los mais crescidos, preciso que cresçam, preciso que se tornem mini-homens… será da fase das birras, mas eu preciso… e no fundo eles também querem… espero.

Continue Reading

pinboard | for boys

1|2|3|4|5|6

ando a pensar muito no que os meus miúdos vestem, não pelo consumismo mas porque começam a ser rapazes e não tão bebés. as golas e golinhas nunca foram o nosso forte, em moçambique o calor não permitia grandes aparatos e os bodies ou só fraldas davam imenso jeito. andavam mais tempo no sling que fora e quanto menos roupa melhor para todos. passámos directamente para jardineiras, tshirts e ténis pela praticabilidade da coisa, temos carneiras, calções de veludo cotlê, temos roupa tic tac, temos casaquinhos lindos para ocasiões especiais, mas temos muita roupa práctica pois a escola não perdoa e aquele pavimento do recreio dá cabo de tudo. compro quase tudo na zara, primark e gap, mas ultimamente apetece-me dar-lhe um “look”, não quero maltrapilhas, não quero betinhos nem daqueles miúdos que tão pequeninos já têm camisolas cheias de caveiras, marcas e frases que não lembram ao diabo, ou logos de bandas sinistras… se bem que já as tiveram e aos 9 meses ficavam-lhes tão bem. agora ando perdida por looks mais crescidos, camisas, cardigans, calças afuniladas e dobradas para se verem aquelas pernas lindas de miúdo pequeno, gosto de cachecóis mais leves e coloridos, ando ansiosa por lhes tirar os casações, gorros e cachecóis de lã… andam tão mais bem-dispostos quanto mais leve for a roupa, como a mãe… quero vê-los de tshirt, de calças frescas e keds sem meias, quero vê-los mais crescidos, preciso que cresçam, preciso que se tornem mini-homens… será da fase das birras, mas eu preciso… e no fundo eles também querem… espero.

Continue Reading
Close Menu
×
×

Cart