let's party | A Festa da Tua Vida




Poder fazer parte de momentos importantes na vida de alguém, será talvez o que mais gosto de fazer. Participar de um momento no tempo, poder participar num instante da vida de alguém, de sorriso na cara faz bem a qualquer um. Ajudar a Festa da Tua vida a fazer mais uma pessoa feliz foi muito bom e encheu-me o coração. A Casa de Santo António faz um trabalho excelente com estas mães que apesar das dificuldades e dos medos e preocupações de início de maternidade e de fase adulta da vida, tem ali um apoio que só visto, só sentido, só explicado.




Foi tão bom poder oferecer um Baby Shower para o pequeno William que está quase a chegar e andam todas ansiosas por o ver e ter nos braços, a mãe estava tão feliz! O final de tarde convidava a estar assim, sentadas à mesa num lanche proporcionado por tantas pessoas dedicadas a fazerem os outros felizes. O bolo da Rita Mendes foi um sucesso só de ver, apetecia mergulhar nele. E as sanduíches da Marta, hmmm que fome deram ao montar a mesa.



  
   

OBRIGADA A,
A Festa da Tua Vida | organização e todo o conceito deste modo de celebrar os outros!
Andrea | decoração e design
Paka Party | balões e peças decorativas
Rita Mendes | bolo
Susana | fralda e botinhas
Marta | sanduíches
e às voluntárias com as mais diversas coisas e acima de tudo carinho | OBRIGADA!!
  
A Susana deixou um mimo para a mãe, uma fralda bordada e botinhas prontas para aquecer o mais recente membro daquela família tão boa assim que nascer. Para não falar da maravilhosa ajuda que recebi da carla, da Paka Party onde há festas todos os dias e onde a boa disposição é mais que os balões! Foi maravilhoso poder pegar nestes elementos todos, tão queridos e tão cheios de carinho e simplesmente colocá-los no sítio certo para o Baby Shower perfeito. Que mais dizer... ah sim, houve um incêndio na casa e tivemos que evacuar todos, mas isso após notificação de bombeiros não acabou com o bom humor, com as gargalhadas sonoras daquelas crianças que já só queriam voltar para os seus quartos, para o lanche, para o bolo e para os balões queridos! Apesar do susto, a sensação que deu foi que ali há uma família, e que nos bons e maus momentos, unem-se como só elas sabem.



A Casa de Santo António entretanto pede ajuda com o incêndio de ontem com bens alimentares, segue a lista de produtos que precisam! Por favor ajudem!!



let's party | emoji

Dá-me imenso gozo organizar e decorar festas. Vivo intensamente os aniversários, celebrações, eventos dos outros como se fossem para mim e que tema tão divertido este!!
EMOJIS! Na verdade o tema foi escolhido mesmo à última, a Inês não sabia ao certo o que seria melhor para rapazes e raparigas de 10 anos, idade em que já não querem grandes merchandizings de bonecos, mas idade terrível para as primeiras separações entre boys and girls. Achei que a ideia seria perfeita! Um tema, que em quase tudo é alegre, pela cor, pelas caretas, pelas emoções, e por poderem durante um dia falarem de cócó sem ninguém a aborrecer-se... "let them be kids".




O Manuel adorou! Eu sei porque estive lá e observei-o um pouco, foi bom vê-lo feliz, alegre, sem preocupações, sem medos e sem receio de nada! o dia foi dele e quem o viu tenho a certeza que notou! E claro, havia "cócós" por todo o lado e a galhofa foi total!! Os amiguinhos que o digam!
  
 

Para ajudar à festa, chamei a Terra do Nunca. A Mariana e o Francisco deram tudo para animar os miúdos com uma mega caça ao tesouro e actividades cheias de pinta e gargalhadas! Já a Joana da Manjerico&Sardinha juntou-se à equipa e preparou um fabuloso lanche e um bolo que levou três segundos a ser devorado! 




festa emoji | decoração e gráfica | andrea@andreaportugal.pt
animação | a terra do nunca
espaço | mdv

Fazer parte destes dias de miúdos enche-me o coração de orgulho e de vontade de nunca parar, no fundo celebramos tudo também por eles e queremos que neste dia se esqueça o que passou, e pensarmos apenas no que interessa, estarmos bem e felizes. Tenho a certeza que o Manuel se irá lembrar desta festa durante uns bons anos e eu também... let's ALWAYS have a reason to party!

where to eat | juicy.lisboa

A primeira vez que soube da existência do juicy.lisboa foi através de um amiga que no instagram postou uma fotografia linda com uma mesa de um verde maravilhoso, marquei logo na lista de sítios onde ir comer e como ando ultimamente com mais reuniões de manhã liguei à minha amiga de refeições em sítios novos e marcámos logo "uma dia vamos lá almoçar", ontem foi o dia!
Sem conhecer o menu e apenas sabendo que é saudável, arrisquei. Basicamente pensei que com aquela mesa não vai ser uma desilusão... não gosto muito de ter expectativas altas, mas também prefiro ir com vontade do que sair de casa com dúvidas.


O dia precisava do juicy.lisboa, foi o que pensei assim que voltei para casa, era deste espaço, deste momento, desta refeição e desta perfeita conversa a duas que o meu dia precisava! que ma-ra-vi-lha! Um almoço tardio, que já tirei a prova, é a melhor maneira de gostar de tudo, com fome, de não olhar a preços nem ingredientes.



O menu é simples, fácil de entender mas que teve uma explicação amorosa de quem nos atendeu, vale a pena comer fora com pessoas assim, uma querida se é que na baixa lisboeta ainda se pode usar termos destes... um menu com menu, há coisa melhor do que saber que se come bem, a preço acessível e com todo o sabor do mundo numa refeição?



Wraps de verduras frescas e cruas, falafel com sabor a médio oriente (que saudades da Palestina...), limonada no ponto, sopa divinal parece, porque embora tenha pedido para provar a T engoliu-a sem pestanejar... e umas tiras de batata doce fritas que nem vos digo nem vos conto, precisa ser provado. Acrescento apenas que a maionese, caseira, foi das melhores que provei e se não é maionese que seja o que for que eu quero!



Entrar aqui é sair de Lisboa e mergulhar no México sem foleiradas nem sombreros, é estar num deserto em tons terra com tanto verde. É sentir-se em casa de alguém no sul da Califórnia, é comer sem pressas e sair com vontade de marcar logo mesa de novo. E o que eu adoro o slogan "plants neves tasted so good"


juicy.lisboa . rua de são julião 70 | site | facebook | instagram

E este pormenor de não termos que pedir copos de água? Parece tão simples, mas ganha pontos! Como ter uma fonte cá dentro... e claro reparei logo nos copos lindos!




dia da mãe | print

Sobre este print falei aqui já há uma semana, continuo a achar um óptimo presente para o dia da mãe, que está quase a chegar, é já este domingo que vamos poder dar a quem nos cria, quem nos ralha e quem nos meteu no mundo algo simbólico, especial, enorme ou extraordinário para que nunca se diga que não pensamos nela!

e em nós... que como mãe merecemos muito!! eu já deixei a dica cá em casa do que adorava ter, e claro já imprimi um para mim para a cena do dia "mãe temos aqui um presente para ti feito por ti!" adoro!!




andrea | print mãe



what to visit | maat

Ir passear à beira-rio e não ir ao maat já não se usa e que bem que sabe apanhar este sol só nosso, neste passeio tão espectacular com um edifício destes. Questionável arquitectonicamente, sim, principalmente no interior, mas já cá fazia falta algo tão diferente e que nos pusesse a pensar. Como arquitecta prefiro que se façam coisas novas e inovadoras do que acharmos que temos que continuar só no restauro do que já existe, nem tudo pode ser mantido e sem edifícios novos também não há evolução em arquitectura e na própria paisagem da cidade. 
A evolução não está só nos costumes ou nas tecnologias, as cidades mudam também nos edifícios que as compõem, na paisagem arquitectónica que tanto dá a uma cidade, nem todos conseguem dar valor a isso, mas eu dou e muito. A relação que temos com a nossa cidade e o sítio onde vivemos está muito ligado ao modo como o usamos, que relação temos com as ruas, edifícios e como a cidade é pensada. O maat veio dar uma melhor relação com o rio que Lisboa já não tinha há muito por se concentrar noutros pontos da cidade, damos imensa importância às Docas, que continuam iguais ou pior do que nos anos 90, damos muita importância ao Cais do Sodré que já quando eu tirei o curso não havia meio de ter qualidade, sempre um amontoado de obras e caos no trânsito que só agora está aos poucos a compor-se. 
Agora ir das Docas a Belém tornou-se hábito, passeio e tão fácil de aceder, já não há a sensação que Belém fica na fronteira com Oeiras e que para lá chegar é preciso sair da cidade. O maat une tudo com uma ligeireza impressionante e imponente, eleva-nos literalmente a um andar superior de onde temos a sensação que vemos tudo, que Lisboa está ali mesmo à mão.





Trazer os miúdos aqui não é só a pensar nas exposições que até agora não me têm surpreendido, gosto da pergunta inicial "é jornalista ou professor?" que dá direito a desconto, mas os arquitectos tá quieto! Até agora não vi nada surpreendente, mas pode ser só uma questão de tempo, vou mais pelo edifício e pela sensação que transmite no seu exterior. Os miúdos deliram e entretê-los está garantido! Fazem imensas perguntas sobre o espaço que dá gozo responder porque apesar de achar que as profissões têm que se lhe digam, gosto da minha e do curso que tirei e teria todo o prazer em passar essa paixão e que eles a seguissem. Para isso prefiro ensinar bem, prefiro mostrar e coitados vão ter que levar com ela, ou não fossemos nós os dois da área e daqueles que quando entram num espaço tocam nas paredes para sentir os materiais... 









maat . av. brasília . central tejo . lisboa | site | facebook | instagram

Cada vez mais feliz da nossa escolha que viver aqui, nem céu azul e paisagem incrível, de costas para  o rio ou de costas para Lisboa, não há paisagem feia por aqui e prova disso é este ponto específico da cidade.